Prefeitura de Balneário Camboriú planeja transformação da Avenida Atlântica até 2016 - Cidades - O Sol Diário
 
 

Projeto ousado30/07/2013 | 21h12

Prefeitura de Balneário Camboriú planeja transformação da Avenida Atlântica até 2016

Bondinhos aéreos como transporte coletivo e travessias com elevadores estão entre as propostas

Prefeitura de Balneário Camboriú planeja transformação da Avenida Atlântica até 2016 Rafaela Martins/Agencia RBS
Prefeitura aguarda licenças ambientais para começar obra de alargamento da faixa de areia Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS
No que depender da prefeitura de Balneário Camboriú, a orla da Praia Central está vivendo suas últimas temporadas do jeito que ela é hoje. Um arrojado - e milionário - projeto pretende transformar toda a Avenida Atlântica, em uma obra que o próprio prefeito Edson Piriquito considerada ousada.

Confira o projeto de reurbanização da Avenida Atlântica, em Balneário

A ideia é que, até 2016, a via conte com três pistas para veículos, calçadas mais largas, canteiros arborizados, estacionamento, ampla área para mobiliário urbano e uma praia totalmente alargada. Para completar, 12 grandes travessias para pedestres com elevadores e bondinho aéreo a preços populares, para ser usado como novo transporte coletivo.

- Vou construir uma nova cidade. É uma evolução, uma transformação positiva e nós vamos fazer isso. Abri mão de concorrer ao governo do Estado em 2014 por essa obra, que é maior do que ser governador - afirma Piriquito.

A reurbanização da Atlântica integra o projeto de alargamento da faixa de areia, que espera agora a licença ambiental. A jazida de areia que vai fornecer o material para o aterro já foi identificada (fica a 13 quilômetros da costa) e a expectativa é de que o processo demore cerca de seis meses, a partir do momento que o licenciamento ambiental sair.

A prefeitura espera que a aprovação da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) aconteça até o fim deste ano. Depois do aterro, a revitalização da beira-mar seria mais demorada, sendo feita provavelmente por etapas para não prejudicar a mobilidade na região.

O prefeito ressalta, porém, que tudo depende do aguardado sinal positivo da Fatma. Ainda não há previsão oficial do órgão estadual para que as licenças sejam analisadas.

Estudos

Se o tamanho da obra dá um tom de "loucura" à proposta, a Secretaria de Planejamento de Balneário diz que é sim viável executar o projeto. Conforme o secretário Auri Pavoni, os estudos ainda estão na fase inicial, já que as licenças ambientais ainda não foram liberadas. Mesmo assim, o trabalho já vem sendo feito para que a obra saia do papel.

- Estamos estudando e analisando várias hipóteses, e é possível fazer todas essas mudanças na Atlântica - considera.

Os investimentos iniciais previstos são de R$ 150 milhões para o alargamento da praia e a maior parte da reurbanização, mais R$ 100 milhões para o bondinho. Tudo com recursos municipais, segundo o prefeito.

O SOL DIÁRIO

Notícias Relacionadas

Mar e areia 17/10/2012 | 19h19

Alargamento da praia em Balneário Camboriú está cercado de desafios

Projeto que promete quadruplicar a faixa de areia terá que garantir as características da praia

O Sol Diário
Busca