Balneário Camboriú ainda estuda como será a implantação da ciclofaixa da Brasil na região central - Cidades - O Sol Diário
 
 

Mobilidade08/07/2014 | 13h51

Balneário Camboriú ainda estuda como será a implantação da ciclofaixa da Brasil na região central

Trecho entre a rua 1.001 e a rua 2.000 preocupa pela concentração de pessoas

A prefeitura de Balneário Camboriú ainda não bateu o martelo sobre como será implantada a ciclofaixa ao longo da avenida Brasil especialmente no trecho que vai da rua 1.001 até a rua 2.000. De todo modo, a expectativa é de que a faixa especial para ciclistas esteja pintada e em funcionamento até o fim deste ano.

A região é um impasse para o município porque concentra um volume grande de comércios e consequentemente transeuntes. De acordo com o secretário de Planejamento, Auri Pavoni, está se debatendo uma melhor forma de fazer a ciclofaixa funcionar no local sem prejuízo para qualquer das partes.

Com a implantação da ciclofaixa do lado esquerdo da via, as vagas de estacionamento daquele lado podem ser extintas. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade chegou a fazer uma pesquisa com os comerciantes credenciados. A maior parte, 49,5% dos 545 ouvidos, é favorável à implantação. Outros 42,3% foram contrários.

O secretário não soube informar quantas vagas serão retiradas para a implantação da ciclofaixa e quantas sobram. Mas adiantou que não devem ser muitas, já que o número de vagas para estacionar na via é pequeno.

O SOL DIÁRIO

O Sol Diário
Busca