Florianópolis ganha primeiro estacionamento controlado por robôs do Brasil  - Cidades - O Sol Diário
 

Há vagas? 11/11/2015 | 20h09Atualizada em 12/11/2015 | 20h14

Florianópolis ganha primeiro estacionamento controlado por robôs do Brasil 

Projeto encontra resistência do MPSC, que aponta falhas na licitação e na obra 

Hyury Potter
Edifício possui 19 robôs que fazem o trabalho de guardar e retirar os veículos Foto: Charles Guerra / Agencia RBS

A promessa é de poucos minutos para deixar ou retirar um veículo no Centro de Florianópolis, mas a espera da população para que isso aconteça já tem mais de cinco anos. A empresa responsável pela construção do polêmico edifício deve apresentar oficialmente o primeiro estacionamento-garagem completamente automatizado do país nesta quinta-feira.

Justiça determina suspensão de obra de edifício-garagem na Capital  

O local tem 256 vagas para veículos e promete desafogar parte da demanda por vagas de estacionamento na região central da Capital. A previsão para abertura para população é às 7h de sexta-feira. No entanto, um pedido de liminar apresentado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) pede a suspensão da abertura.

O terreno de 1.300 m², localizado ao lado da Catedral Nossa Senhora do Desterro, deveria permitir o alojamento a cerca de 52 carros, mas no prédio de oito andares, além de térreo e subsolo, a capacidade passou para 256 vagas. Para André Iasi, presidente da Estapar no Brasil, empresa que faz a gestão do empreendimento, os benefícios do projeto vão além do número de vagas disponíveis:

— Ao todo, serão 19 robôs que farão esse processo completamente automatizado de levar o veículo até a vaga e depois trazê-lo de volta. É uma obra inovadora no país, que contou com boa parte de sua produção no Estado de Santa Catarina.

De acordo com o Iasi, o edifício robotizado de Florianópolis é o primeiro do Brasil. Apenas cinco funcionários devem trabalhar no prédio, sendo dois técnicos em robótica. No começo da operação, a empresa informa que funcionários extras devem trabalhar na entrada do edifício para orientar os usuários como utilizar o serviço de estacionamento. A empresa preferiu não revelar o valor investido no empreendimento. Até o ano passado, o valor divulgado era de aproximadamente R$ 14 milhões

A empresa informou que o custo por hora no estacionamento  será de R$7, sendo R$ 35 a diária e R$ 400 o valor mensal. O local só abriga veículos até 1,9 metros de altura e 2,5 toneladas. 

Na mira do MPSC 

Do processo licitatório até a liberação de alvará para a construção do prédio, são vários os problemas questionados pelo MPSC que tramitam na Justiça desde 2010, quando a área que pertence ao Governo do Estado foi concessionada para a I-Park Estacionamentos Inteligentes por 30 anos. Poucos meses após o pregão, a empresa teve 70% de seu capital vendido para a Estapar. O tipo de licitação, a venda de parte da empresa e a construção do prédio serviram de argumentos para uma ação civil pública da 26º Promotoria da Defesa da Moralidade Administrativa da Capital

— A empresa ganhou uma licitação sem o Governo ao menos checar se ela teria condições financeiras de construir o prédio. E também não havia projeto para um edifício de oito andares tão próximo de um patrimônio histórico como a Catedral, muito menos com fachada de vidro, que reflete a luz sobre a igreja. O próprio alvará concedido pela prefeitura é cheio de falhas, que estão em outro processo movido pelo MPSC - explica o promotor Aor Steffens Miranda, que protocolou uma ação cautelar na quarta-feira para impedir a inauguração do estacionamento. 

HYURY POTTER

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioAndré Santos cita Flamengo como exemplo para confiar no acesso do Figueirense https://t.co/kLbTSe1z92há 3 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioPela primeira vez, Avaí não conta com atletas da dupla autora de 30% dos gols na temporada https://t.co/Q8z789rTJMhá 9 horas Retweet
O Sol Diário
Busca