Conheça as estratégias das escolas de SC que tiveram maior salto na nota do Ideb  - Cidades - O Sol Diário

Educação10/09/2016 | 07h07Atualizada em 10/09/2016 | 10h48

Conheça as estratégias das escolas de SC que tiveram maior salto na nota do Ideb 

Unidades de Canoinhas e Imbituba alavancaram as médias em 3,4 e 3,5, respectivamente 

Conheça as estratégias das escolas de SC que tiveram maior salto na nota do Ideb  Olavo Sobrinho/Divulgação
Escola de Imbituba oferece aulas de xadrez para alunos, o que estimula raciocínio lógico e concentração  Foto: Olavo Sobrinho / Divulgação

A queda ou ascensão de nota e posicionamento no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) serve de indicador para as instituições de ensino se autoanalisarem e passarem a trabalhar potencialidades e ameaças na qualidade do ensino. Com base nos dados divulgados na última quinta-feira pelo governo federal, o DC mapeou quais as escolas que mais caíram e mais subiram de nota entre 2013 e 2015 (a pesquisa é feita de dois em dois anos) e foi em busca do que está por trás dos números.   

O levantamento leva em conta apenas as escolas públicas e de ensino fundamental porque são as únicas que o governo mapeia 100%, a análise sobre o ensino médio e escolas particulares é feita por amostragem.

Ideb 2015: consulte o resultado das escolas de Santa Catarina 

Rio das Antas foi o município de SC que teve o maior crescimento na média das notas

Conforme as estatísticas relativas a 2015 liberadas na última quinta-feira, Santa Catarina é líder nas séries iniciais, mas precisa melhorar nas fases que antecedem o vestibular. 

As escolas públicas do Estado melhoraram 0,2 pontos nas séries iniciais em dois anos. Nas séries finais, a evolução foi de 0,6 pontos. Duas escolas, porém, alavancaram as notas em valor bem acima que esta média. Nos anos iniciais (5º ano), a escola municipal Professora Xeila Elisabete Cornelsen, em Canoinhas, subiu 3,4 pontos. Em relação às séries finais (9º ano), a escola estadual André A. de Souza, em Imbituba, foi a que mais subiu no ranking do Ideb.

SC é primeiro colocado no ranking do ensino fundamental no Brasil

Confira a lição de quem evoluiu:

Período integral quatro vezes na semana

Todas as escolas municipais de Canoinhas tiveram crescimento na pontuação do Ideb divulgada neste ano. A escola Professora Xeila Elisabete Cornelsen, localizada em zona periférica da cidade do Planalto Norte, obteve a melhor  _ depois de decair nas últimas avaliações _ e o maior crescimento do Estado nos anos iniciais _ saltou 3,4 pontos: de 3,2 em 2013 para 6,6 em 2015. A diretora pedagógica da secretaria municipal de Educação, Elsi Irene Noernderg Pangratz, credita o resultado a um conjunto de ações realizado em rede. 

— É graças aos investimentos que são feitos na área educacional e, principalmente, ao conjunto dos professores. Nós tivemos uma boa professora trabalhando com o 5º ano. 

Além do corpo docente, Elsi destaca dois projetos realizados no contra-turno escolar com os alunos desde o ano passado: Mais Conhecimento e Mais Educação. As ações envolvem tanto professores, quanto pedagogos. 

— Os estudantes participam de atividades relacionadas à língua portuguesa e matemática, que constam nas questões da Prova Brasil. Dessa forma, eles ficam em período integral na escola por quatro dias na semana. No ano passado, focamos no 5º e no 9º ano e, nesse ano, no 4º e 8º. 

Simulados realizados mensalmente dentro do sistema Aprende Brasil também auxiliaram no resultado, conforme a representante da pasta. 

Nota em 2015: 6,6
Nota em 2013: 3,2
Subiu 3,4

Veja as 10 escolas com as maiores notas do ensino fundamental em Santa Catarina no Ideb 2015

Atividades de incentivo à presença escolar

Grupo de dança na escola Professor Andre Antonio de Souza Foto: Olavo Sobrinho / Divulgação

Dança, teatro, xadrez e conversas individuais com pais e alunos. Esses foram alguns caminhos trilhados pela Escola de Educação Básica Professor Andre Antonio de Souza, de Imbituba, no Sul de Santa Catarina, para dar um salto no Ideb dos anos finais do ensino fundamental. Embora siga abaixo da média de 5,8 estipulada pelo Estado, a unidade teve um salto de 3,5 na nota entre a avaliação de 2013 para a de 2015. 

— Primeiro falamos com os pais e depois conversamos com os alunos com mais dificuldades para repensarem o seu futuro dentro da escola, o que querem fazer. A maioria desses alunos não tinham estímulo para vir à escola, não tinham apoio da família — explica o diretor da escola, Mário José de Oliveira. 

Prova disso é que em 2014 a taxa de reprovação chegou a 30% entre o 6º ano e ensino médio. Para incentivar a permanência, a própria comunidade ajudou a custear professores de dança e teatro para aulas extracurriculares. A iniciativa deu certo e hoje a taxa de reprovação está em torno de 6% e o grupo de dança é tricampeão regional do Dança Catarina. As aulas de xadrez também ajudam os alunos no raciocínio lógico e concentração, acrescenta o diretor. Outro item que colaborou foi a implementação em 2013 do Programa Estadual Novas Oportunidades de Aprendizagem (Penoa), que dá aulas de reforço de português e matemática para alunos que repetiram de ano na escola de 400 alunos. 

Nota em 2015: 5,3
Nota em 2013: 1,8
Subiu: 3,5


Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioIvo Müller comemora prêmio de Melhor Vilão e interpreta médico em seriado sobre saúde pública https://t.co/Zhj0yZqkO0há 4 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJosé Aldo fala em aposentadoria e desce a lenha sobre tratamento do UFC https://t.co/YcTf4i0O5mhá 6 horas Retweet
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros