Diretoria executiva da Fahece renuncia em meio a crise financeira - Cidades - O Sol Diário

Crise na saúde06/10/2016 | 19h02Atualizada em 07/10/2016 | 09h21

Diretoria executiva da Fahece renuncia em meio a crise financeira

Fundação alega ter R$ 56 milhões para receber do governo do Estado

leonardo gorges

A diretoria executiva da Fahece, fundação responsável pela gestão do Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon) e do Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc), renunciou "em caráter irrevogável" na tarde desta quinta-feira. Deixam os cargos, que são voluntários e sem remuneração, o presidente José Augusto Oliveira, o diretor administrativo e financeiro Fernando Caldeira de Andrada, e o diretor técnico e operacional Rodrigo D'Eça Neves. 

A justificativa apresentada por eles, por meio de assessoria de imprensa, são os "reiterados atrasos nos repasses de recursos pelo governo estadual", o que tornaria "inócua" a permanência deles à frente da fundação. O ofício com a carta de renúncia foi entregue à presidente do Conselho Curador da Fahece, Zuleika Mussi Lenzi. 

A Fahece alega ter cerca de R$ 56 milhões a receber em atrasados. Já a Secretaria de Estado da Saúde afirma que os repasses à Facehe "vêm sendo feitos dentro das possibilidades existentes, com pagamentos de salários sendo garantidos aos funcionários, e dentro do fluxo de caixa permitido".

No mês de setembro, segundo a entidade, o governo repassou R$ 4,4 milhões, referentes à folha de pagamento, no dia 6 de setembro e outros R$ 1 milhão no dia 29. A soma é menos da metade dos R$ 12 milhões de repasses mensais ao qual a Fahece tem direito firmado em contrato com o Estado. 

Ainda segundo a Fahece, em agosto, o secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinübing, se comprometeu a realizar o repasse mensal, em três parcelas, em audiência realizada no Ministério Público estadual, na presença dos promotores de Justiça Sônia Maria Piardi e David do Espírito Santo. 

De acordo com o presidente  José Augusto Oliveiraos estoques de insumos estão em níveis ¿perigosamente reduzidos¿ e o crédito junto aos fornecedores, esgotado.

– Eu seria irresponsável se não tomasse uma atitude diante desse descaso do governo com a área da Saúde. Essa completa falta de expectativa (na regularização dos repasses) que nos levou a tomar uma atitude drástica – disse, em entrevista por telefone.

" A proximidade do final do ano agrava ainda mais a situaçã

o, pois as importações de medicamentos precisam ser feitas em maior quantidadeA inadimplência do governo para com a Fahece já impediu durante todo o ano de 2016 a reciclagem e capacitação dos colaboradores, assim como as revisões e ajustes em equipamentos sofisticados, medidas de rotina que garantiram até aqui a precisão e a excelência dos serviços prestados (resultados de exames e tratamentos) pelo Cepon e pelo Hemosc", diz a fundação, em nota.

Nova diretoria

A diretoria que hoje renuncia ao cargo foi empossada em março. Caberá ao Conselho Curador a escolha dos sucessores, para um mandato que vai até março de 2018. Uma reunião está marcada para o dia 11 de outubro para discutir o assunto. 

Secretaria de Estado da Saúde diz que contato com Fahece será mantido

Por meio de nota oficial, a Secretaria de Estado da Saúde afirma que a renúncia da diretoria executiva da Fahece é "uma questão interna da entidade" e que "a secretaria relaciona-se com a Fahece e assim prosseguirá, independente de direção ou de pessoas que ocupam os postos".

A nota segue afirmando que "a dificuldade financeira alegada pela diretoria executiva da Fahece para formalizar a renúncia é a mesma dificuldade enfrentada pela Secretaria da Saúde, pelo governo deste e de outros Estados e pelo país. Os repasses à Facehe vêm sendo feitos dentro das possibilidades existentes, com pagamentos de salários sendo garantidos aos funcionários, e dentro do fluxo de caixa permitido. Sob a suposta dívida de R$ 60 milhões, a Secretaria de Estado da Saúde mais uma vez não confirma tal valor. A Secretaria de Estado da Saúde acredita que os problemas são resolvidos com união e conta com a parceria da Fahece e sua futura diretoria diretoria executiva para fortalecimentos dos serviços e para um trabalho forte, conjunto e de longo prazo".

Renúncia da diretoria administrativa cria uma nova crise no Hemosc e Cepon 

Leia as últimas notícias de Diário Catarinense

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros