"Educação precisa ser tratada de forma diferente", diz Deschamps - Cidades - O Sol Diário

Gestão de recursos11/10/2016 | 22h39Atualizada em 11/10/2016 | 22h43

"Educação precisa ser tratada de forma diferente", diz Deschamps

Secretário de Estado da Educação comenta desafios diante da PEC 241

A PEC 241 tem sido uma das principais bandeiras do governo federal, que alega ser uma medida fundamental para ajustar as contas, fazer o país voltar a crescer e ter maior credibilidade. Mas a medida divide opiniões e tem provocado intensos debates. As críticas se concentram, sobretudo, nas áreas de saúde e educação que, segundo os opositores, teriam seus gastos congelados. Para quem defende a proposta, não é preciso gastar mais, mas melhor.

– Precisamos de administradores que gastem de maneira eficiente. Então acho que existe muito espaço para gastar que pode ser resolvido simplesmente com boa gestão – explica o professor de Economia da Fundação Getúlio Vargas Fernando Holanda.

Entenda o que está em jogo com a aprovação da PEC do teto dos gastos

O Secretário do Estado da Educação, Eduardo Deschamps, pensa de forma diferente:

– Costumam dizer que o Brasil gasta hoje o mesmo com educação que países da OCDE, mas temos que levar em conta que precisamos disso porque temos um déficit enorme a ser resolvido, acumulado de anos, enfrentamos analfabetismo alto, temos que universalizar o ensino médio, entre outros tantos desafios.

De acordo com a Secretaria, há ainda um grande desafio para chegar à universalização do ensino médio, por exemplo. Hoje 63% dos alunos em idade para o ensino médio estão matriculados. Há ainda os que têm idade para essa fase, mas estão em séries anteriores e os que nem mesmo estudam. 

  • Marcelo Fleury: "A PEC, cinco bifes e uma berinjela"

  • Embora a PEC 241 se refira ao gasto da União e não incida sobre os repasses aos Estados e municípios, ela preocupa as secretarias estaduais. O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), presidido por Deschamps, encaminhou, nesta semana, documento ao governo federal a respeito da proposta. No texto, a entidade pede que a educação receba tratamento diferenciado na PEC 241.

  • A Associação dos Dirigentes das Instituições Federais de ensino superior (Andifes) tem manifestado preocupação quanto aos investimentos, que já sofrem cortes e contingenciamentos desde 2014. ¿A ação dos reitores será no sentido de manter a  proximidade da relação com o MEC e buscar alternativas de recursos¿, diz em nota.
 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros