Governador visita Sul de SC e afirma que usará fundo estadual para ajudar famílias atingidas - Cidades - O Sol Diário

Ajuda do Estado17/10/2016 | 14h01Atualizada em 17/10/2016 | 21h26

Governador visita Sul de SC e afirma que usará fundo estadual para ajudar famílias atingidas

Tubarão pretende decretar estado de emergência nas próximas horas

Governador visita Sul de SC e afirma que usará fundo estadual para ajudar famílias atingidas Leo Munhoz/Agencia RBS
Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

O governador Raimundo Colombo esteve no Sul catarinense visitando as áreas atingidas pela tempestade do último domingo. Ele anunciou que o dinheiro do fundo estadual para apoio em desastres naturais será destinado às famílias prejudicadas. A prefeitura de Tubarão, cidade mais afetada, deve decretar estado de emergência. Santa Catarina teve 29 cidades com estragos causados por ventania e tsunami meteorológico. Uma criança morreu atingida por uma árvore

— As pessoas atingidas poderão usar dinheiro do fundo estadual para apoio em desastres naturais. Além disso, percebemos que muitas empresas foram afetadas. Vamos liberar uma linha de crédito para que essas pessoas possam reabrir seus negócios —  afirmou Colombo. 

Tsunami meteorológico: entenda como ocorre o fenômeno 

A prefeitura de Tubarão,  ainda ainda não tem previsão sobre o estrago total, mas afirmou que está recebendo ajuda de vários órgãos.  

— Acredito que esta união vai reerguer a nossa cidade — afirmou o chefe do executivo, João Olávio Falchett. 

Fortes rajadas de vento deixam rastro de destruição em Tubarão

O secretário da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, que também percorre as cidades atingidas nesta segunda-feira, falou sobre o radar meteorológico. De acordo com Morateli foram emitidos avisos no site do governo do Estado.

— O radar estava funcionando no domingo. Em alguns momentos houve um ruído por excesso de usuário, mas tivemos um aviso no site. Também precisamos ter um sistema com os 3 radares operando para poder enviar um alerta com informação precisa. A expectativa é que isso fique pronto ate maio de 2017, quando o inaugurar o Centro Integrado de Gestão de Desastres Naturais — afirmou. 

Leia também:
Chuva e vento causam morte e destruição no Sul catarinense

"O mar subiu e a onda veio", diz dona de restaurante em Araranguá

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros