"Houve muita injustiça", afirma Cesar Souza sobre acusações no horário eleitoral em Florianópolis - Cidades - O Sol Diário
 
 

ELEIÇÕES 201630/10/2016 | 12h22Atualizada em 30/10/2016 | 14h11

"Houve muita injustiça", afirma Cesar Souza sobre acusações no horário eleitoral em Florianópolis

Acompanhado da esposa, o prefeito falou com a imprensa após votar

"Houve muita injustiça", afirma Cesar Souza sobre acusações no horário eleitoral em Florianópolis Cristian Delosantos / Rádio CBN Diário/Rádio CBN Diário
Foto: Cristian Delosantos / Rádio CBN Diário / Rádio CBN Diário

Pouco visto durante as eleições deste ano, o prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Junior, preferiu novamente discrição no momento de votar. Acompanhado da esposa, votou por volta das 11h30min na Escola José do Valle Pereira, no bairro João Paulo. Após sair da seção eleitoral, o chefe do executivo concedeu entrevista para o repórter da rádio CBN Diário, Cristian Delosantos. Na entrevista, Cesar falou sobre os problemas na arrecadação do município, envolvimento na campanha e as acusações durante as propagandas eleitorais. 

De acordo com ele, o sentimento é de injustiça. Assim, conforme afirmou, acabando o período de restrições eleitorais, a gestão pretende se defender do que foi dito. 

— No começo da semana vou colocar muitos pingos nos is. Sim, houve muita injustiça, mas vamos falar claramente na próxima semana — afirmou.

Confira a entrevista

O senhor ficou um pouco afastado no primeiro turno nas eleições. Neste segundo, acha que houve mais envolvimento no processo de eleição?
R: Obviamente que nós participamos do processo. Tivemos em uma das coligações e participamos sim. 

Do ponto de vista da arrecadação, o próximo prefeito terá condições de contratar e fazer concurso publico para os profissionais das creches?
R: Estes dois anos foram os mais difíceis para todos os municípios do Brasil. O controle da prefeitura não venceu a inflação. Realmente vai ser preciso fazer um grande ajuste para que a prefeitura volte a fazer novos investimentos. Mas vamos deixar um déficit menor, mas os próximos não serão fáceis. Como não sou candidato posso falar. [Os próximos gestores] precisarão decidir quais serviços preservar e que serviços terá que manter. 

A sua gestão na prefeitura foi duramente criticada durante a propaganda eleitoral. Foi duro acompanhar pela televisão?
R: No começo da semana vou colocar muitos pingos nos is. Sim, houve muita injustiça, mas vamos falar claramente na próxima semana. Teremos o coração tranquilo de entregar a cidade com números melhores. Mas é que na eleição se simplifica muita coisa. 

Leia as últimas notícias do Diário Catarinense

O Sol Diário
Busca