Upiara Boschi: O PMDB à espera após os resultados das eleições municipais - Cidades - O Sol Diário

Opinião13/10/2016 | 09h01

Upiara Boschi: O PMDB à espera após os resultados das eleições municipais

Enquanto o PMDB vive uma diversidade de nomes e nenhum deles consegue se sobrepor, o PSD vai se afunilando em torno do presidente da Assembleia Legislativo Gelson Merisio

As urnas do primeiro turno mantiveram o PMDB como maior partido do Estado, com o comando de cerca de um terço das prefeituras de Santa Catarina. Além disso, a legenda disputa o segundo turno nas duas maiores cidades catarinenses com a marca do favoritismo – leve em Joinville, amplo em Florianópolis. Diante desses fatos, o que faz o partido parecer mais frágil para a disputa pelo cargo de governador em 2018?

Talvez seja aquela velha lógica política de que quem tem muitos candidatos não tem nenhum. Hoje o PMDB conta com o senador Dário Berger, o vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o deputado federal Mauro Mariani como possíveis postulantes. Se for reeleito em Joinville, o prefeito Udo Döhler tem tudo para entrar nesse rol. Seria ele, pessoalmente, o maior vencedor de 2016 dentro do partido, levando em conta derrotas dos outros três em suas bases.

Enquanto o PMDB vive uma diversidade de nomes e nenhum deles consegue se sobrepor, o PSD vai se afunilando em torno do presidente da Assembleia Legislativo Gelson Merisio. Faz parte desse projeto incentivar toda e qualquer disputa entre os atuais sócios do governo estadual.

Obviamente a questão incomoda as lideranças estaduais peemedebistas. Mas a ordem é não deixar que os movimentos atrapalhem a atual paz interna do partido – o armistício construído entre os caciques após a morte do senador Luiz Henrique da Silveira.

Presidente estadual da sigla, Mariani diz que o nome do candidato a governador surgirá naturalmente ao longo do processo. Seja quem for, já nasce com pelo menos 25% dos votos, pela tradição do partido em Santa Catarina. É com esse peso que o partido vai jogar. Seja para empurrar o governador Raimundo Colombo (PSD) para a manutenção da aliança, seja para construir uma nova coalizão política.


Sob risco
Há quem interprete que com o habeas corpus do Supremo Tribunal Federal que garantiu seu registro de candidatura a deputado federal em 2014, João Rodrigues (PSD) está sujeito a perder o mandato em Brasília. Seria necessário provocar a Justiça Eleitoral – seja o Ministério Público Eleitoral, seja algum beneficiário. O primeiro suplente da coligação é Edinho Bez (PMDB).


Cabo eleitoral

Não estranhem se o ex-prefeito João Paulo Kleinübing (PSD) começar a aparecer mais na campanha de Jean Kuhlmann (PSD) em Blumenau. Foi publicado ontem no Diário Oficial do Estado o início de seus 30 dias de férias do cargo de secretário estadual de Saúde.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros