Depois de perder tudo em incêndio, casal de Florianópolis realiza sonho de viajar de carro até o Alaska para ver a aurora boreal - Cidades - O Sol Diário

Feliz ano velho28/12/2016 | 06h10Atualizada em 28/12/2016 | 13h25

Depois de perder tudo em incêndio, casal de Florianópolis realiza sonho de viajar de carro até o Alaska para ver a aurora boreal

Luciene e Walfredo Kumm chegaram a achar que tudo estava perdido quando perderam equipamento e carro em 2012, durante expedição

Depois de perder tudo em incêndio, casal de Florianópolis realiza sonho de viajar de carro até o Alaska para ver a aurora boreal Familia Kumm/Divulgação
Foto: Familia Kumm / Divulgação

Dia 12 de agosto de 2012, o casal de fotógrafos aventureiro Luciene e Walfredo Kumm, de Florianópolis, iniciava a maior de suas expedições, a Vivenciando as Américas.  A ideia era percorrer de carro toda a América, do Brasil até o Alaska, no Extremo Norte, passando cerca de um mês em cada país. Seriam 19 países e mais de 1,4 mil cidades. A saída, na SC-401, na Capital, foi acompanhada por dezenas de amigos e familiares.

Um mês e uma semana depois, porém, no dia 19 de setembro, a camionete em que viajavam (um misto de carro, escritório e casa ambulante) pegou fogo. O carro estava em uma estrada deserta na cidade de Jussiape, no interior da Bahia, quando Walfredo deu a partida e a fumaça começou a se alastrar.

Além do carro, Luciene e Walfredo perderam R$ 60 mil em equipamentos fotográficos, roupas e o acervo de imagens dos últimos 11 anos, período em que realizaram 10 expedições.

 — Ali estava a nossa história, nosso arquivo fotográfico, equipamentos, roupas, a nossa casa, enfim tudo o que gostávamos — relembra Luciene.

A fotógrafa, que entrou em depressão depois do incêndio, desabafou na época no Facebook. ¿Agora só me resta trabalhar. Buscar um emprego em algum lugar e seguir pensando na possibilidade de um dia poder voltar a sonhar com a ida ao Alaska atravessando as três Américas¿.

Neste ano, o sonho se transformou em realidade. Luciene e Walfredo mudaram o nome da expedição, para dar sorte. Agora, se chama Vamos Kumm tudo. A página da Família é abastecida quase todos os dias com fotografias belíssimas dos lugares que estão visitando e, claro, as mais impressionantes são as da imensidão branca do Alaska, onde conheceram a aurora boreal, o maior sonho do casal.

— Chegamos a chorar juntos a primeira noite em que vimos a aurora boreal. Foi muita emoção, é fantástico — conta Luciene.

 Rota esticada 

Foto: Familia Kumm / Divulgação

A expedição começou no dia 27 de fevereiro deste ano. O plano era ir até o Alaska e voltar, mas depois aumentaram a rota e decidiram visitar todos os Estados americanos antes do retorno. Agora estão em Nova York, onde passaram o Natal e ficarão até o começo do ano. Já percorreram cerca de 60 mil quilômetros, devendo chegar a 120 mil até retornarem a Florianópolis, o que só deve acontecer daqui a dois anos. Eles não têm pressa, porque gostam de vivenciar todos os lugares por onde passam, conhecer as pessoas e a cultura do lugar.

Em fevereiro de 2017 eles devem visitar rapidamente ao Brasil, porque, como são aposentados, precisam ¿provar ao governo que estamos vivos¿, como diz Luciene. Os dois dependem deste salário para viver _ é com ele que garantem as despesas básicas da viagem. Vão aproveitar também para rever a família, principalmente a netinha de cinco anos e o netinho de dois. 

Durante a viagem vendem postais do acervo fotográfico e, se necessário, fazem pequenos bicos para melhorar a renda. Até lenha já cortaram. Mas Walfredo diz que não precisam de muito dinheiro, já que a moradia está garantida na barraca no topo da Land Rover. Além disso, contam com a solidariedade dos amigos. Foram os seguidores do casal nas redes sociais que fizeram uma ¿vaquinha¿, por exemplo, para ajudar a pagar as despesas com o conserto da camionete, quando ela quebrou. E assim eles vão levando a vida na estrada, um dia após o outro, realizando o sonho acalentado durante tanto tempo.

Leia também:

Conheça a história de Caio Szerszen, menino de 9 anos que ganhou nova vida em 2016

Após anos de espera, catarinense adota duas crianças e tem 2016 marcado como o ano em que a família ficou completa

2016: um ano marcante para o artista catarinense Luciano Martins

Casal catarinense comemora 2016: o ano em que o filho de um ano resistiu a doença grave no coração

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioSenadores catarinenses se posicionam a favor da terceirização https://t.co/xA0HaQvoQYhá 23 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioPerto de renovar contrato, Ferrugem afirma: "Quero fazer história no Figueirense" https://t.co/EwZF6DjrDbhá 33 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros