Local onde irmãos morreram afogados em Major Gercino era pouco usado para banho - Cidades - O Sol Diário

Afogamento27/12/2016 | 10h25Atualizada em 27/12/2016 | 22h35

Local onde irmãos morreram afogados em Major Gercino era pouco usado para banho

Chuvas dos últimos dias deixaram o Rio Tijucas cheio e sujo, o que facilitou acidente ocorrido na tarde de segunda-feira

Local onde irmãos morreram afogados em Major Gercino era pouco usado para banho Marco Favero/Agencia RBS
Foto: Marco Favero / Agencia RBS

A morte de três irmãos na tarde de segunda-feira em um afogamento em Major Gercino, na Grande Florianópolis, mexeu com a pequena cidade de 3,4 mil habitantes. Nesta terça, pelas ruas do município o assunto era somente esse, que vinha acompanhado do semblante de tristeza dos moradores.

Tiago Ferreira Lopes, 16 anos, David Ferreira Lopes, 14, e Matheus Ferreira Lopes, 11, morreram perto das 16h, quando tomavam banho no Rio Tijucas, que corta a cidade. Eles estavam acompanhados da mãe, dos padrasto e das duas irmãs mais novas. Somente os três brincavam na água no momento em que se afogaram. O padrasto chegou a se jogar no rio para tentar salvá-los, mas retornou pelas condições do local.

Como choveu bastante nos últimos dias na região do Vale do Rio Tijucas, o ponto onde eles estavam, que fica a três quilômetros do Centro da cidade, ficou muito cheio e sujo. Esse fator pode ter contribuído com o afogamento dos três, pois inicialmente os três nadavam em uma área rasa, junto a uma prainha.

Em sentido horário, da esquerda para a direita: David, Tiago e Matheus Foto: Reprodução / Reprodução

O agente administrativo da Secretaria de Saúde de Major Gercino e técnico de enfermagem Marcos Marcelino foi um dos primeiros socorristas a chegar no local. Como a cidade não tem uma unidade do Corpo de Bombeiros, a equipe de São João Batista teve de ser acionada. Enquanto isso, os funcionários da secretaria fizeram o atendimento inicial.

Segundo Marcelino, os relatos dos familiares foram de que um dos garotos começou a se afogar e os outros dois tentaram salvá-lo. Apesar de a família optar por esse local para tomar banho, Marcelino diz que ele não é muito frequentado pelos moradores da cidade. De acordo com o agente, a profundidade do ponto onde eles se afogaram era perto de oito metros.

— É um lugar conhecido, mas a população não tem costume de tomar banho no rio onde eles estavam. Realmente tem uma prainha, mas é raro alguém frequentar — contou.

Um morador das proximidades tentou mergulhar para ajudar nas buscas dos garotos antes da chegada dos bombeiros, mas não teve sucesso. As equipes de São João Batista trabalharam até o fim da tarde, quando mergulhadores de Balnéario Camboriú passaram a atuar no rio. Os corpos foram localizados somente perto das 20h30min, quando já havia anoitecido.

O velório dos três ocorre na Capela Mortuária da cidade até as 9h desta quarta-feira, quando eles serão sepultados no Cemitério Municipal. Os pais optaram por estender o cerimonial para aguardar a chegada de familiares que moram no Paraná, de onde eles são naturais. Os garotos, a mãe, o padrasto e as irmãs moravam no Bairro Três Barras, em Major Gercino.

— Todo mundo está transtornado. A cidade está destruída — resumiu Marcelino.

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFigueirense sai na frente contra o Santa Cruz, mas não resiste e cede empate no segundo tempo  https://t.co/J3a3tRr59nhá 10 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioAcidente envolve quatro veículos e deixa duas pessoas feridas na BR-470 em Ilhota https://t.co/0FSSHvjTvzhá 14 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros