Santa Catarina festeja virada do ano - Cidades - O Sol Diário

2017!31/12/2016 | 22h49Atualizada em 01/01/2017 | 08h44

Santa Catarina festeja virada do ano

Capital e cidades do Litoral Sul e Vale do Itajaí esperam pelo Ano-Novo

Santa Catarina festeja virada do ano Leo Munhoz  / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Leo Munhoz / Agência RBS / Agência RBS

A chuva não espantou os turistas e moradores da Avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis. Munidos com capas, sombrinhas e até guarda-sóis, o público se protegeu do mau tempo. A festa começou tímida mas por volta das 22h o entorno do palco, montado no trapiche, já era ocupado pelas pessoas que esperavam pela queima de fogos. 

Pontos de ônibus e espaço embaixo das árvores foram lugares disputados pelo público que compareceu no local. A chuva foi constante no começo da festa, dando trégua somente perto da meia-noite. 

Foto: Leo Munhoz / Agência RBS

Foi justamente da infraestrutura que a professora aposentada Simone Mai se queixou. Moradora de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, Simone sempre vem para Florianópolis no fim de ano e se hospeda na casa do irmão. Apesar da capa de chuva, Simone estava molhada:

— A organização poderia montar tendas, afinal todo ano chove — sugeriu enquanto tentava se abrigar do temporal. 

Foto: Leo Munhoz / Agência RBS

Apesar da chuva, Mai seguiu disposta para aproveitar o show. As apresentações tiveram início às 21h. Durante o show do cantor Maurício Cavalheiro a emoção tomou conta do público, que homenageou as vítimas da tragédia da Chapecoense entoando "Vamo, vamo, Chape!". Durante os fogos, a canção ecoou novamente.

Teve quem preferiu ficar longe do palco, escolhendo pontos mais estratégicos para ver a queima de fogos. Foi o caso da família Carvalho, que veio de São Paulo para a Capital catarinense pela terceira vez consecutiva. Eles chegaram por volta das 18h30min e se acomodaram perto do hotel Majetic. Mesmo com a redução do tempo do show, Rafael Carvalho acredita que vale conferir a virada na Ilha.

Família Carvalho chegou cedo para garantir uma boa vista do espetáculo de fogos Foto: Simone Feldmann / Agência RBS

Com redução de 15 toneladas e 10 minutos a menos de fogos de artifício - a queima durou 12 minutos, mas não decepcionou o público, que fez questão de aplaudir quando o espetáculo terminou.

Foto: Leo Munhoz / Agência RBS

Vinícius Souza, professor de alemão em Águas Mornas, trouxe a família de São Paulo para passar a virada em Florianópolis. O grupo chegou a Beira-Mar Norte às 17h e enfrentou a chuva por mais de sete horas:

— Santa Catarina é o melhor lugar, o espetáculo foi um show. Estamos na chuva desde às 17h, sem guarda chuva, mas foi muito bonito, com certeza valeu a pena. O fato de ter o investimento reduzido não atrapalhou a festa. Isso mostra que não depende só do governo, mas da população, do empresariado, que fez a diferença esse ano — afirma Souza. 

Vinícius Souza com a esposa Gislaine de Oliveira e a família vinda de São Paulo Foto: Simone Feldmann / Agência RBS

Até as 3h a Polícia Militar não havia informado a estimativa de pessoas que compareceram ao local. A organização esperava púbico de 300 mil pessoas. A festa ocorreu com tranquilidade e não foram registradas ocorrências graves.

Leia também:

Virada do ano em Balneário Camboriú emociona mais de um milhão de pessoas

Réveillon tem praia lotada em Barra Velha, no Litoral Norte de SC

A festa da virada do ano no Morro do Mocotó, em Florianópolis

Virada do ano em Balneário Camboriú emociona mais de um milhão de pessoas

 
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros