Motorista da Uber é suspeito de abuso sexual durante corrida em Florianópolis  - Cidades - O Sol Diário
 
 

Polícia18/01/2017 | 10h16Atualizada em 18/01/2017 | 16h28

Motorista da Uber é suspeito de abuso sexual durante corrida em Florianópolis 

Segundo Boletim de Ocorrência, crime teria acontecido no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte

A Polícia Civil investiga um caso de abuso sexual que teria ocorrido em Florianópolis no último domingo. Um motorista parceiro da Uber é suspeito de abusar sexualmente de uma jovem de 20 anos durante uma corrida no Norte da Ilha. A jovem registrou um boletim de ocorrência na 7ª Delegacia de Polícia de Florianópolis, em Canasvieiras. O caso está sob responsabilidade da Delegacia da Mulher, na 6ª DP, na Agronômica.

De acordo com o relato da jovem, a violência aconteceu no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, na Vargem Grande. Além da vítima, a irmã dela, de 23 anos, também estava no veículo no momento em que as intimidações teriam iniciado. A identidade dos envolvidos não foi divulgada. 

Segundo o delegado titular da Delegacia da Mulher, que assumiu as investigações, Paulo Caixeta, o motorista acusado pelas jovens já foi identificado. Ele prestou depoimento, mas não chegou a ficar detido, por não ter sido caracterizado um flagrante. Caixeta informou ainda que nenhum detalhe será divulgado. 

— As investigações já estão em curso, mas eu não vou me pronunciar sobre os detalhes. Considero esse tipo de crime extremamente grave, mas as versões são muito conflitantes, e a gente precisa ter cuidado para falar coisas que atrapalham as investigações — disse. 

Mesmo sem adiantar detalhes, o delegado afirmou que além das duas jovens e do motorista, "ainda faltam algumas pessoas a serem inquiridas". Até sexta-feira, segundo Caixeta, as investigações devem ser finalizadas. 

No registro do BO, as irmãs contaram que pediram um carro pelo aplicativo Uber na Praia Brava, onde participavam de uma festa na noite de domingo. Inicialmente, elas pediram para voltar para a casa, mas como uma das duas passava mal, solicitaram ao motorista que fosse direto para a UPA Norte. Segundo o delegado, a partir deste momento, as informações obtidas em depoimentos são conflitantes.

O delegado busca câmeras de segurança instaladas próximo ao local, para tentar obter imagens que possam esclarecer o caso. No estacionamento da UPA não há câmeras.

Condutor diz que ajudou garota a entrar na UPA

Segundo Caixeta, o condutor alega que ajudou a levar a menina que estava passando mal para dentro da UPA em uma cadeira de rodas. Em depoimento, ele disse que pessoas que estavam próximas o auxiliaram. As duas irmãs contam uma versão diferente: elas afirmam que o motorista jogou a moça para fora do carro e fugiu do local. 

— As duas disseram que o estupro foi na frente da UPA Norte, mas a gente ainda está confirmando isso. Não posso passar os detalhes — finalizou Caixeta. 

Segundo o responsável técnico da UPA, Carlos Renato da Silva, no dia da ocorrência, por volta das 21h30min, uma jovem "com as mesmas características" do caso deu entrada no local junto com a irmã. Segundo o relato dos profissionais, no momento em que as duas chegaram não havia nenhum homem com elas.

— Uma menina chegou aqui junto com a irmã. Ela estava com sinais de embriaguez e se queixava de ter sido abusada. Ela foi medicada pois estava passando mal e os profissionais orientaram elas a irem até uma unidade que atende casos de abuso — contou Carlos. 

Vítima diz que foi molestada enquanto esperava pela cadeira de rodas 

No BO, a vitima disse que a irmã mais velha saiu para buscar uma cadeira de rodas dentro da unidade. Nesse momento, o motorista teria molestado sexualmente garota e mandado ela sair do carro. 

— Mesmo com um pouco de álcool no sangue, nada justifica qualquer abuso — afirmou o médico. 

Na tarde de terça-feira, a Polícia Civil esteve no local e pegou os dados do prontuário médico. O setor jurídico da secretaria de saúde também foi informado sobre a suspeita de crime sexual. 

Caixeta espera que pessoas que presenciaram esses momentos apareçam para prestar depoimento. Funcionários da UPA devem ser ouvidos nos próximos dias.

Motorista foi afastado pela Uber até a conclusão da investigação

Em nota, a Uber disse que já afastou o motorista do serviço e que acompanha as investigações. 

— O motorista parceiro está suspenso da plataforma até que sejam concluídas as investigações pelas autoridades competentes. A Uber está à disposição para cooperar com as investigações, segundo a lei — disse a empresa.

O DC questionou se a empresa tem prestado algum tipo de assistência à família das jovens e quais procedimentos serão adotados a partir de agora com relação ao caso. As perguntas não foram respondidas. 

Leia mais notícias:
Uber cria taxa extra de R$ 0,75 por corrida para usuários 

O Sol Diário
Busca