Prefeito de Gramado restringe licenciamentos imobiliários  - Cidades - O Sol Diário

Novas regras04/01/2017 | 10h59Atualizada em 04/01/2017 | 11h43

Prefeito de Gramado restringe licenciamentos imobiliários 

Decreto que suspende análises de projetos e cria novas regras para construções foi publicado nesta quarta-feira 

Prefeito de Gramado restringe licenciamentos imobiliários  Rosa Helena Volk/Divulgação
Foto: Rosa Helena Volk / Divulgação

O prefeito João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT), o Fedoca, anunciou nesta quarta-feira (4) medidas para frear a especulação imobiliária em Gramado. Foi publicado um decreto que suspende a análise dos projetos em andamento e delimita novas regras para os que serão protocolados a partir de agora. As informações são da Rádio Gaúcha.

O que muda é o processo de encaminhamento, que deixará de ser protocolado na Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente ao mesmo tempo. Com isso, projetos que geram impacto ambiental precisarão de licença prévia ambiental antes de passar para as próximas etapas.

Leia mais:
"Não falta estrutura, foram problemas acidentais", diz diretor da Corsan sobre falta de água
Turismo "emerge como principal propulsor" para a economia voltar a crescer, diz ministro 

O objetivo das restrições, conforme Fedoca, é preservar o meio ambiente e combater a especulação imobiliária. 

– Existe muito impacto ambiental irreversível em Gramado. Vamos, pelo menos, evitar que se suje o que está limpo. Esse também é o objetivo, preservar o que ainda está livre da especulação pelo homem – apontou, em entrevista ao Gaúcha Atualidade.

O prefeito destaca que a nova secretária do Meio Ambiente, Rosaura Heurich, que também já atuou na Fepam, se encarregará de comandar um diagnóstico da situação da cidade.

– Sobretudo diante desse mosaico que se chama Plano Diretor, um tanto inorgânico, porque sofre muitas adaptações com base em modificações momentâneas – criticou.

Além do impacto ambiental, Fedoca se disse preocupado com o trânsito e a mobilidade. 

– Gramado construiu demais em locais impróprios e agora as pessoas não conseguem se mexer. O estacionamento público pago é insuficiente para a demanda – destaca. 

O administrador do município planeja medidas como, por exemplo: disciplina mais rígida dos horários para ônibus e transporte de carga nos picos de movimento.


 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCom dezenas de autoridades presentes, entidades cobram prazos e agilidade na duplicação da BR-470 e outras obras d… https://t.co/kJDhqQYSDxhá 2 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioSão Paulo acerta a contratação do zagueiro Bruno Alves, ex-Figueirense https://t.co/JaftfZwYo4há 2 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros