Saiba como se proteger da radiação ultravioleta de nível extremo que atinge Santa Catarina - Cidades - O Sol Diário

Verão02/01/2017 | 18h04Atualizada em 02/01/2017 | 18h44

Saiba como se proteger da radiação ultravioleta de nível extremo que atinge Santa Catarina

Pelo menos até 7 de janeiro, incidência de raios solares no Estado está entre os níveis mais altos e exige cuidados redobrados

Saiba como se proteger da radiação ultravioleta de nível extremo que atinge Santa Catarina Diorgenes Pandini/Agencia RBS
Usar chapéu e protetor solar são medidas essenciais Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

As temperaturas elevadas nos primeiros dias do ano em boa parte de Santa Catarina são um convite para aproveitar as atividades ao ar livre e momentos na praia. Porém além dos termômetros próximos aos 40ºC, o Estado também conta com incidência dos raios solares ultravioleta no nível máximo desde o fim de 2016. A previsão é de que permaneça neste patamar até pelo menos dia 7 de janeiro. 

Numa escala de 1 a 16, que mede desde a mais baixa (em que é possível se expor ao sol sem danos à saúde pelo tempo que quiser) à mais extrema (que exige evitar sol ao meio-dia, permanecer na sombra, usar boné, camisa e protetor solar), o índice ultravioleta (IUV) referente ao território catarinense tem ficado entre 14 e 15 em todos Estado, segundo a Epagri Ciram, órgão estadual de monitoramento do clima.

O dia mais crítico será o dia 7 de janeiro, quando praticamente todo o território catarinense é afetado pelo nível 15 (apenas o Extremo Sul escapa e fica no nível 14, que também exige cuidados). Nos demais dias, a incidência fica no nível 14 principalmente no Oeste e Litoral. Nas outras regiões, fica em 15.

Veja a incidência de raios IUV até o dia 7 de janeiro, segundo a Epagri Ciram:
Os tons de roxo mais escuros nas imagens de satélite indicam os níveis extremos


criar banner

Segundo a Epagri Ciram, o mapa indica a previsão do índice ultravioleta máximo no horário do meio-dia solar, considerando quantidade de ozônio, posição do sol, tipo de superfície, cobertura de nuvens e outros fatores. 

Conforme a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, os horários mais seguros para atividades ao ar livre são antes das 10h e depois das 16h, quando a quantidade dos raios UV é reduzida. A exposição acumulada aos raios de sol contribui para o desenvolvimento do câncer de pele

CONFIRA OS CUIDADOS ESSENCIAIS:

Roupas e acessórios

No verão é importante usar chapéu e roupas de algodão nas atividades ao ar livre, pois retêm cerca de 90% das radiação UV. Tecidos sintéticos, como o nylon, retêm apenas 30%.

Evite a exposição solar entre 10h e 16h (horário de verão). As barracas usadas na praia devem ser feitas de algodão ou lona, materiais que absorvem 50% da radiação UV.

Outro objeto que tem extrema importância são os óculos de sol, que previnem cataratas e lesões à córnea.

Filtro solar

Deve ser aplicado diariamente, e não somente nos momentos de lazer, inclusive nos dias nublados. Os produtos com Fator de Proteção Solar (FPS) 15 ou 20 podem ser usados no dia a dia; e o FPS 30 ou superior é ideal para uma exposição mais longa ao sol (praia, piscina, pesca etc.).

Aplique o produto 30 minutos antes da exposição solar para que a pele o absorva. Reaplique-o a cada duas horas, mas fique atento, esse tempo diminui se houver transpiração excessiva ou se você entrar na água. Aplique o protetor uniformemente em todas as partes de corpo, isso inclui mãos, orelhas, nuca, pés. Não se esqueça de proteger as cicatrizes.

Em crianças, inicia-se o uso do filtro solar a partir dos seis meses de idade, utilizando um protetor adequado. É preciso que as crianças e jovens criem o hábito de usar o protetor solar diariamente, pois 75% da radiação acumulada durante toda a vida ocorre na faixa entre 0 e 20 anos. 

Pele negra

As pessoas de pele negra têm uma proteção "natural" da pele pela maior quantidade de melanina produzida, mas não podem esquecer da fotoproteção, pois também estão sujeitas a queimaduras e câncer da pele.

Muita água

Aumente a ingestão de líquidos no verão e abuse da água, suco de frutas e da água de coco. Todos os dias, aplique um bom hidratante, que ajuda a manter a quantidade de água na pele entre 10% a 30%.

Alimentos ajudam

Alguns alimentos podem ajudar na prevenção dos danos causados pelo sol na pele, como cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba, pois contêm carotenóides, substância que se deposita na pele e retém as radiações ultravioletas. Esta substância é encontrada nas frutas e legumes de cor alaranjada ou vermelha.

No banho

Use sabonetes compatíveis com o tipo de pele. A temperatura da água deve ser fria ou morna, para evitar o ressecamento.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia

Para conferir como está a radiação ultravioleta, acesse aqui. 

Leia também:
Dezembro tem cor laranja para conscientizar sobre câncer de pele

Aumenta número de casos de câncer de pele em Santa Catarina

Saiba escolher o filtro solar mais adequado para o seu tipo de pele

Saiba como calcular a sensação de calor na sua cidade

DC Pelas Praias: Passarela dá visão privilegiada de Balneário Camboriú

Turismo no Quintal: Aprenda a organizar sua viagem e arrumar as malas para curtir as férias em Santa Catarina

VERÃO 2016: Clique e acompanhe a cobertura em Santa Catarina

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioDuplicação da Rodovia Antônio Heil, que liga Itajaí a Brusque, não tem data para conclusão https://t.co/PrFU09aG9Vhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCidades da Serra catarinense registram queda de granizo https://t.co/44SmRCtrW0há 1 horaRetweet
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros