Por que Santa Catarina está tão distante da taxa de partos normais recomendada pela OMS  - Cidades - O Sol Diário
 
 

Especial18/02/2017 | 07h22Atualizada em 18/02/2017 | 15h13

Por que Santa Catarina está tão distante da taxa de partos normais recomendada pela OMS 

DC foi às cidades catarinenses com os maiores e menores índices de parto normal para mostrar os fatores que explicam o cenário

Por que Santa Catarina está tão distante da taxa de partos normais recomendada pela OMS  Marco Favero/Agencia RBS
Na contramão, São João do Itaperiú ostenta o maior índice de partos normais de 2016 Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Com 42,7% de partos normais em 2016, Santa Catarina está abaixo da média brasileira e distante de alcançar a meta de 85% da Organização Mundial de Saúde (OMS) para nascimentos sem cirurgia. O Diário Catarinense foi até as cidades com maiores e menores índices de cesáreas para mostrar fatores que impactam neste cenário. 

Infraestrutura deficiente, encaminhamento médico inadequado e a falta de protagonismo da mulher neste processo ajudam a explicar a baixa taxa de partos normais. Neste contexto, a cesariana, essencial em alguns casos e que ajuda a salvar vidas, passou a ser regra.  

Leia o especial completo neste link(ou clique na imagem abaixo)

Foto: Marco Favero / Agência RBS


O Sol Diário
Busca