Saiba como a ginástica cerebral estimula atenção, foco e disciplina - Cidades - O Sol Diário

Mente saudável17/03/2017 | 17h00Atualizada em 18/03/2017 | 13h31

Saiba como a ginástica cerebral estimula atenção, foco e disciplina

Evento gratuito no Parque de Coqueiros encerra a Semana Mundial do Cérebro neste sábado

Saiba como a ginástica cerebral estimula atenção, foco e disciplina Diorgenes Pandini/DC
Rejane Bressan utiliza o ábaco nas aulas de ginástica cerebral para estimular o raciocínio lógico Foto: Diorgenes Pandini / DC

Você já tentou listar 10 utilidades diferentes para um mesmo objeto? O desafio é mais difícil do que parece, já que a maioria das pessoas não está acostumada com experiências fora da rotina. A pergunta é uma atividade de neuróbica, um conceito criado em 2000 por um neurocientista norte-americano, desenvolvida para manter o cérebro ágil e saudável por meio de exercícios, criando novos e diferentes padrões de atividades dos neurônios no cérebro. A Semana da Consciência do Cérebro, iniciada na segunda-feira, tem a proposta de chamar a atenção das pessoas para a importância de manter o cérebro saudável e divulgar pesquisas sobre o tema.  

Na Semana do Cérebro, confira exercícios para manter sua mente saudável

A terapeuta ocupacional Mariana Cenci, professora na Supera, uma academia do cérebro em Florianópolis, explica que os exercícios de neuróbica podem ser feitos por pessoas de todas as idades.  

— A ginástica vêm ao encontro com a necessidade de ter mais foco nos objetivos e metas. É recomendada para as crianças com dificuldade de aprendizado, pois trabalha o senso de organização e disciplina e pode ser utilizada por adolescentes e adultos que pretendem melhorar a concentração para provas e consolidar o conhecimento recebido. O exercício também ajuda idosos que querem manter a mente ativa e melhorar a qualidade de vida — explica.

Rejane Bressan, 52, começou os exercícios cerebrais em novembro do ano passado, por ter dificuldades de concentração, e depois de quatro meses acredita que evoluiu muito.

— Sempre gostei de ler, mas estava com dificuldade de me concentrar, ficava repetindo várias vezes o mesmo trecho da página. Também tinha a intenção de melhorar meu raciocínio lógico e acredito que está funcionando. Estimular o cérebro também me ajudou com a autoestima, estava passando por um período de mudanças, troquei minha área de trabalho, e o foco e a atenção vieram na hora certa — conta Rejane.

 Prevenção ao Alzheimer

Gilberto Couto, 63 anos, começou a fazer aulas de ginástica cerebral por indicação médica, já que possui casos de Alzheimer na família. A expectativa é prevenir a doença degenerativa estimulando mais o cérebro. Apesar de ter começado o treinamento há pouco tempo, conta que se sente motivado.

Atualmente, cerca de 46 milhões de pessoas no mundo têm algum tipo de demência, cuja causa mais comum é o Mal de Alzheimer _ estima-se que até 2050 este número suba para 115 milhões. No Brasil, não há dados atualizados, mas estima-se que pelo menos no 1,2 milhão de pessoas tenham demência.

Até o momento não há cura para a doença, mas pesquisas científicas indicam atividades estimulantes do cotidiano podem reduzir a perda de memória, falta de atenção e dificuldades relacionadas ao raciocínio lógico assim como o risco de desenvolvimento do problema.

A tecnologia, dependendo da forma como é utilizada, é um dos fatores que têm causado prejuízos ao cérebro. As interações em mídias sociais podem ser tão impactantes que afetam áreas do sistema nervoso responsáveis pelo prazer ou pela dor. Quando você recebe uma curtida em uma foto no Instagram, por exemplo, o cérebro estimula a produção de dopamina, substância fundamental para a motivação. Por outro lado, se um você recebe comentários depreciativos ou sua foto é ignorada, acontece o oposto, o que à longo prazo pode desencadear frustrações crônicas, levando a um processo depressivo.

Mariana ressalta que é bom ter um equilíbrio ao longo do dia, buscando sair da mesmice ao realizar diferentes atividades. O ideal é usar as redes sociais, ou jogar vídeo game, por 20 minutos e fazer outra coisa por outros 15. Para os estudos, a regra é a mesma.

— As redes sociais e a tecnologia não são um problema, mas é importante saber como utilizar, escolhendo aquilo que realmente importa e durante um tempo adequado, com consciência e coerência — afirma.

AGENDE-SE

Com o objetivo de mostrar que a prática de atividade física para o cérebro é uma questão de saúde pública, neste sábado ocorre um evento gratuito no Parque de Coqueiros, em Florianópolis. Serão realizados desafios lógicos, música, presença de nutricionistas, personal trainer, escolas de dança, aulas de zumba, atividades para terceira idade, jogos e exercícios com ferramentas que estimulam a atividade cerebral, como o ábaco.

O quê: Encerramento da Semana do Cérebro
Quando: sábado, 18, das 9h às 17h
Onde: Parque de Coqueiros, em Florianópolis
Quanto: gratuito


Leia também: 

Mentes brilhantes: conheça as características do cérebro de pessoas com altas habilidades cognitivas, os superdotados

Florianópolis é a segunda melhor cidade para se viver depois dos 60 anos no Brasil

Em cada cinco consultas médicas agendadas, um paciente falta e gera prejuízo de R$ 13,4 milhões em SC




 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioBombeiros ainda não sabem o que provocou o incêndio em hotel de Braço do Norte, no Sul de SC https://t.co/YNODuseHUchá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioAugusto Ittner: Blumenau sedia segunda etapa do Catarinense de Beisebol https://t.co/9KKzSphKXghá 2 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros