Campanha pelo dia do assistente social em Blumenau é acusada de racismo institucional - Cidades - O Sol Diário

Polêmica na internet18/05/2017 | 13h44Atualizada em 18/05/2017 | 13h47

Campanha pelo dia do assistente social em Blumenau é acusada de racismo institucional

Debate nas redes sociais começou depois que a prefeitura divulgou aos servidores a imagem de uma mulher negra sendo assistida por uma loura

Campanha pelo dia do assistente social em Blumenau é acusada de racismo institucional Blumenau Mil Grau / Reprodução/Reprodução
Segundo a página Blumenau Mil Grau, o banner coloca pessoas negras como alvo de políticas assistenciais Foto: Blumenau Mil Grau / Reprodução / Reprodução

Uma imagem enviada pela Prefeitura de Blumenau aos servidores municipais por e-mail repercutiu negativamente nas redes sociais. O material, que conforme a assessoria de imprensa da administração pública faz parte de uma campanha interna pelo Dia do Assistente Social, comemorado em 15 de maio, mostra uma mulher negra com uma criança de colo sendo atendida por uma mulher loura. Em uma postagem, compartilhada pelo menos 140 vezes até o final da manhã desta quinta-feira, 18, a página de humor Blumenau Mil Grau tornou público o conteúdo, que diz conter racismo institucional.

"Racismo institucional é qualquer sistema de desigualdade que se baseia em raça. Que se manifesta quando instituições atuam de forma diferenciada em relação a uma pessoa por conta de sua cor, cultura ou origem étnica. E esse banner da prefeitura mostra claramente isso. Colocando negros e negras como público alvo de políticas assistenciais", escreveram os administradores da página no Facebook, que informa "retratar o cotidiano da cidade de Blumenau e seus belíssimos moradores".

O post, que já soma 1,1 mil reações e 380 comentários, dividiu a opinião dos internautas. Uma discussão em torno da temática foi estabelecida entre aqueles que reforçam a acusação de discriminação racial e outros que acreditam tratar-se de "vitimismo". 

O Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau (Sintraseb) informou, por meio da assessoria de comunicação, ter tomado conhecimento do material antes da publicação da página Blumenau Mil Grau. Conforme a categoria, a liderança do Movimento de Consciência Negra de Blumenau Cisne Negro, Lenilson da Silva, já havia demonstrado descontentamento em sua própria rede social. Silva não foi encontrado até o início da tarde para comentar o assunto. 

O diretor de comunicação do Sintraseb Sérgio Maurici Bernardo, que é assistente social do município, informou que o sindicato e demais órgãos que representam diretamente o serviço social em nível regional e estadual organizam moções de repúdio a serem entregues em mãos ao prefeito Napoleão Bernardes.

— Os servidores receberam [o e-mail com a imagem] com profunda indignação. Essa prática discriminatória vem sendo recorrente, não é a primeira vez. Além de deturpar a profissão do serviço social, quando diz que a caridade é missão e profissão, há uma revolta por colocar uma loira como assistente e uma pessoa negra a ser atendida. É possível fazer uma leitura terrível do ponto de vista do preconceito, do racismo e da discriminação.

Sérgio ainda faz questão de lembrar que a população negra é minoria somente no corredor central de Blumenau. 

— Temos uma parte invisível da cidade — completou. 

Já a prefeitura de Blumenau posicionou-se por meio de nota enviada à reportagem do Diário Catarinense. A administração municipal considera a imagem "meramente ilustrativa" e descarta qualquer teor depreciativo do conteúdo, mas pede desculpas àqueles que se sentiram ofendidos. Leia o documento na íntegra:

A Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Comunicação Social e Relações Institucionais informa que o material objeto da postagem que trata do Dia do Assistente Social foi veiculado na rede interna direcionada aos servidores do município, assim como é feito em todas as datas comemorativas das categorias profissionais que fazem parte do seu quadro funcional. A imagem utilizada, meramente ilustrativa, não tem qualquer caráter depreciativo e quis representar somente um ato de acolhida. Entende-se que o Assistente Social potencializa e fomenta a defesa e garantia de direitos, fortalecendo o protagonismo dos cidadãos atendidos no Sistema Único de Assistência Social - SUAS. Por fim, a Prefeitura de Blumenau pede desculpas a quem se sentiu ofendido, já que em nenhum momento teve a intenção de depreciar ninguém.

Confira a postagem que contém a acusação de racismo institucional:

Leia também:
Vozes: Onde você guarda seu racismo?

Festival de Botecos começa em Blumenau com pratos e bebidas a partir de R$ 10

Alunos de Florianópolis aprendem educação financeira com pesquisa de preços da cesta básica

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioProjeto voluntário de Palhoça devolve autoestima a mulheres que tiveram câncer de mama  https://t.co/Xj1HipiDzchá 14 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioEspaço Maker, do Sesi Blumenau, promove evento para o público geek https://t.co/QmBrPsF1JDhá 14 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros