Consumidor tem direito a produto gratuito se encontrar mercadoria vencida à venda - Cidades - O Sol Diário

Nova lei11/05/2017 | 11h36Atualizada em 11/05/2017 | 13h00

Consumidor tem direito a produto gratuito se encontrar mercadoria vencida à venda

Caso encontre produto vencido no mercado, o cliente tem direito a mercadoria igual ou similar, dentro da validade, gratuitamente

Consumidor tem direito a produto gratuito se encontrar mercadoria vencida à venda Jean Pimentel/Agencia RBS
Foto: Jean Pimentel / Agencia RBS
Diário Catarinense
Diário Catarinense

Passou a valer em Santa Catarina nesta terça-feira, 9, uma lei que garante aos clientes que encontrarem produtos vencidos à venda tenham direito a outro produto, dentro da validade, gratuitamente. O projeto, de autoria do deputado Darci Matos (PSD), foi proposto em 2015 e estabelece que o consumidor ganhe um produto idêntico ou similar com o mesmo valor. Em Florianópolis, a Lei nº 9337/2013 já estabelecia essa norma.

De acordo com o texto, publicado no Diário Oficial de Santa Catarina, supermercados, hipermercados e estabelecimentos similares que comercializam produtos alimentícios devem fornecer, gratuitamente, outro produto dentro do prazo de validade ao consumidor que constatar a existência de produto exposto à venda com prazo de validade vencido. Os estabelecimentos também devem afixar cartazes ou informações sobre essa disposição.

Porém, a lei não se aplica se a constatação acontecer depois da compra. Neste caso, a recomendação é entrar em contato com o estabelecimento comercial e apresentar a nota fiscal, em busca de um acordo. Se não for sugerida uma solução, o cliente deve procurar um órgão de defesa do consumidor (151) ou realizar uma denúncia para a Vigilância Sanitária do Estado ou do Município. 

A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) comunicou que a prática já é realizada nos estabelecimentos associados desde 2011, com a campanha "Olho na Validade", uma parceria com o Procon-SC. A última lista das lojas participantes, divulgada em 2016, contava com mais de 400 mercados.

A fiscalização da lei cabe ao Procon de Santa Catarina, que também deve receber as denúncias e reclamações pelo descumprimento. Os estabelecimentos que não seguirem as normas estão sujeitos às penalidades do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/1990) e os valores arrecadados com a aplicação das multa devem ser depositados no Fundo para a Reconstituição de Bens Lesados.

Leia também:

Especialista explica quais os riscos de abastecer com combustível adulterado

Lei obriga link do Procon em sites com atendimento ao consumidor em Santa Catarina

Procon SC divulga lista de sites não confiáveis para compras online


Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFigueirense espera apoio da torcida no Scarpelli para voltar a vencer na Série B https://t.co/SlrSbc0X9Hhá 57 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioEmpresário e corretor de imóveis são presos por fraude bancária pela Deic em Itajaí https://t.co/BFt4sPEzswhá 3 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros