Praia de Palmas perde Bandeira Azul, maior certificação de qualidade das praias do mundo - Cidades - O Sol Diário

Meio ambiente05/05/2017 | 15h51Atualizada em 05/05/2017 | 15h53

Praia de Palmas perde Bandeira Azul, maior certificação de qualidade das praias do mundo

Prefeitura afirma que tem interesse em manter a certificação para as próximas temporadas 

Praia de Palmas perde Bandeira Azul, maior certificação de qualidade das praias do mundo Alvarélio Kurossu/Agencia RBS
Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

A Praia de Palmas, em Governador Celso Ramos, perdeu a Bandeira Azul, certificação com respaldo da ONU, Organização Mundial de Turismo, Organização Mundial de Saúde e Ministérios do Turismo e do Meio Ambiente nacional que comprova que o lugar tem um projeto de sustentabilidade para manter as características de um bom lugar para curtir o verão. A praia perdeu o certificado e teve a bandeira retirada após relatórios de balneabilidade da Fatma atestarem, por seis vezes consecutivas, água imprópria para banho, mas a prefeitura afirma que tem interesse em manter a certificação para as próximas temporadas.

— A praia tem dois pontos onde a Fatma testa a qualidade da água, e um um deles deu impróprio sete vezes, sendo seis consecutivas, durante a temporada. Poderia ter dado impróprio apenas uma vez, porque a gente entende que pode ser uma chuva forte que trouxe sujeira da rua. Mas foram várias semanas e a certificação é para a praia inteira, então não poderia continuar com a bandeira — explica Leana Bernardi, coordenadora nacional da Bandeira Azul.

A balneabilidade é apenas um dos critérios para avaliação de uma praia ou marina quando o assunto é receber o certificado de qualidade e o símbolo, que fica hasteado durante toda a temporada. Os locais devem atender um conjunto de 34 requisitos socioambientais, como limpeza, qualidade da água, ações ambientais e turismo sustentável.

— A prefeitura tem a obrigação, e isso está nos critérios do programa, de abaixar a bandeira caso algo saia errado. Eles deveriam ter tido essa responsabilidade com o programa e com os usuários da praia, é uma falta muito grave. Palmas era uma praia desafiadora por ser muito grande, mas para o Estado é uma perda muito grande — lamenta Leana.

Até então, Santa Catarina era o Estado com maior número de pontos aprovados no programa Bandeira Azul. Dos nove pontos aprovados no Brasil para a temporada 2016/2017, quatro estão no litoral catarinense: a Praia de Palmas, em Governador Celso Ramos (SC) e a Lagoa do Peri, em Florianópolis, que tiveram a certificação renovada, além da Praia Grande, também em Governador Celso Ramos, e o Iate Clube de Santa Catarina, na Capital, que fizeram sua primeira temporada.

—  Agora não vamos mais ser o Estado com mais praias certificadas. Mas a situação é difícil no Brasil todo. O modo de fazer gestão costeira aqui é difícil, o que dificulta a evolução do programa — finaliza a coordenadora.

Por nota, a prefeitura de Governador Celso Ramos afirmou que tem "todo o interesse em manter a certificação para as próximas temporadas, sobretudo na Praia de Palmas. É uma grata satisfação podermos ostentar o certificado em duas praias do município" e que "o Poder Público municipal não vai poupar esforços para mantê-lo". A mesma nota afirma que, em março, foram realizadas varreduras em vários pontos do município, e foram identificadas e lacradas ligações clandestinas de esgoto, além de outras ações corretivas e preventivas.

Saiba mais sobre a certificação

O Programa Bandeira Azul iniciou na França em 1985 e desde 1987 passou a incluir outros países da Europa. A partir de 2001 ampliou para outros continentes e em 2006 chegou ao Brasil. O programa é gerido ONG Fundação para Educação Ambiental (Foundation for Environmental Education - FEE ) e inclui praias fluviais e marinas.

Enquanto a FEE é responsável pelo programa em todo o mundo, o Instituto Ambiental do Ratones (IAR), com sede em Florianópolis, é a organização que tem o mesmo compromisso no território brasileiro desde 2006. Para estar qualificado como órgão responsável pela avaliação das praias candidatas a receber a Bandeira Azul, a equipe do IAR passou por um processo de treinamento de dois anos até receber a certificação. A organização também conta com outras instituições parceiras para estar mais perto das praias e realizar a adequada fiscalização.

Para uma praia receber a classificação da Bandeira Azul, a prefeitura de abrangência precisa encaminhar a solicitação para as instituições responsáveis em cada país e então entrar no projeto piloto. Serão dois anos para o local cumprir todos os critérios do programa. Depois passará por uma avaliação nacional e depois internacional.

Balneário Camboriú está inscrevendo três praias na fase piloto. Estão iniciando o trabalho no Estaleiro, Estaleirinho e Taquaras para se preparar para receber a bandeira — adianta Leana.

Leia também:

Litoral de Santa Catarina é o que tem mais pontos com certificação Bandeira Azul no Brasil 

O que tornou a praia de Palmas um lugar Bandeira Azul

Entenda mais sobre a certificação internacional


 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMais dois catarinenses morrem por gripe neste ano https://t.co/QAAzz5sf3Mhá 46 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioGuga cria equipe para aprimorar as técnicas do tênis aos juvenis https://t.co/FsSAohMKQFhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros