SC soma 11 mortes e 88 casos graves de gripe A neste ano   - Cidades - O Sol Diário
 
 

Vírus24/05/2017 | 16h25Atualizada em 01/06/2017 | 19h19

SC soma 11 mortes e 88 casos graves de gripe A neste ano  

379 mil pessoas dos grupos prioritários ainda não se vacinaram contra a doença; campanha de vacinação segue até o dia 26 de maio

SC soma 11 mortes e 88 casos graves de gripe A neste ano   Marco Favero/Agencia RBS
Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Desde o início do ano Santa Catarina já registrou 11 mortes e 88 casos graves de gripe A. Todos os óbitos e a maior parte as hospitalizações (86) foram causadas pelo H3N2, subtipo do vírus influenza A. Os demais pelo H1N1. Além disso, foram seis casos de gripe B no Estado. 

O cenário ganha contornos mais críticos com o outro dado apresentado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC) nesta quarta-feira: a três dias do encerramento da campanha de imunização contra a doença, 379,4 mil pessoas ainda não foram vacinadas em SC. Assim, a cobertura vacinal dos grupos prioritários - que incluem idosos, crianças e gestantes, por exemplo -  está em 72,16%, sendo que a meta é 90%.

Dos 94 casos de influenza confirmados no Estado, 63,8% (60) apresentaram algum fator de risco associado. A maioria era de idosos (34 casos), seguidos por doentes crônicos (12 casos).

As mortes foram registradas em Florianópolis (duas), Caçador (duas), Águas Mornas, Blumenau, Jaraguá do Sul, Joinville, Lages, Santa Rosa de Lima e São Miguel do Oeste. Em relação a faixa etária, a maioria era entre 50 e 59 anos (quatro mortes) e acima de 60 anos (quatro mortes). Das onze mortes por influenza, oito (72,7%) apresentaram algum fator de risco para agravamento.

Confira as salas de vacinação na ferramenta da Dive-SC:

As pessoas que pertencem aos grupos da campanha, para receberem a vacina, devem comparecer ao posto de vacinação preferencialmente com a carteirinha de vacinação. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis devem apresentar prescrição médica com indicação da vacina contra influenza ou, caso sejam cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS, podem se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina sem a necessidade da prescrição. Já os professores têm de apresentar comprovante de vínculo com uma instituição de ensino e os trabalhadores de saúde precisam apresentar carteira de identificação profissional.

Prevenção contra a gripe é essencial

Além da vacinação, há outras ações de prevenção contra gripe que devem ser mantidas. É importante lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou utilizar o álcool gel e evitar tocar os olhos, a boca e o nariz após o contato com essas superfícies.

Ficar atento aos sintomas da gripe, que, em geral, são febre alta, calafrios, tosse, dor de cabeça, dor de garganta, cansaço e dores musculares também é essencial. Quem estiver com febre alta, tosse e falta de ar deve procurar uma unidade de saúde em até 48 horas. O tratamento precoce com medicamentos antivirais ajuda a evitar a evolução para formas graves que podem levar a internação e ao óbito.

Leia também:

A quatro dias do fim da campanha, apenas 72% da população de risco se vacinou contra gripe em SC

Grupos contrários à vacinação avançam no país e preocupam Ministério da Saúde

Veja as salas de vacinação contra a gripe no Estado 

Apenas metade da população de risco se vacinou contra a gripe em Santa Catarina

Santa Catarina registra oito mortes por gripe A em 2017

"Brasil é modelo na imunização contra influenza", diz pesquisadora do instituto que produz a vacina

H3N2, outro subtipo da gripe A, deve predominar em SC e reforça alerta para vacinação de crianças e idosos 


O Sol Diário
Busca