"Hoje o setor está organizado", afirma secretário da Saúde Vicente Caropreso - Cidades - O Sol Diário

Entrevista15/06/2017 | 08h02Atualizada em 15/06/2017 | 08h02

"Hoje o setor está organizado", afirma secretário da Saúde Vicente Caropreso

Deputado estadual do PSDB assumiu a pasta em janeiro deste ano

"Hoje o setor está organizado", afirma secretário da Saúde Vicente Caropreso Leo Munhoz/Agencia RBS
Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

Ex-deputado federal e ex-vereador em Jaraguá do Sul, o médico blumenauense e atual deputado estadual Vicente Caropreso (PSDB) assumiu a Secretaria da Saúde em janeiro deste ano. A nomeação para a pasta ocorreu após negociações políticas que resultaram em mudanças no primeiro escalão do governador Raimundo Colombo (PSD) e levaram os tucanos a integrar oficialmente a gestão do pessedista.

Quando o senhor assumiu, se falava em dívida de R$ 330 milhões. Como esse valor subiu tanto? A conta estava errada?
Nós fomos atrás. As pessoas e entidades diariamente nos batiam à porta e fizemos uma auditoria interna aqui. Solicitamos pra todas as superintendências nos fornecer todos os contratos pendentes, débitos. Hoje esse setor se vê organizado e nós vimos uma realidade diferente daquela que foi apresentado quando assumimos.

Qual o maior desafio hoje pra equilibrar as contas?
A manutenção dos hospitais de administração própria é um grande desafio pra nós. Eles são estruturas com flexibilidade muito limitada pra gestão e têm custo muito maior em relação à rede hospitalar filantrópica, por exemplo. Outro desafio é a judicialização. Pra se ter uma ideia, desde 2011 até agora, computamos R$ 1,1 bilhão com judicialização. É uma quantia expressiva que interfere em qualquer administração pública.

O que é possível fazer de imediato?
A prioridade é apontar aonde nossa auditoria identifica despesas completamente desnecessárias dentro da Saúde. Buscar métodos mais baratos e melhores para a prestação dos serviços, evidentemente sem perda de qualidade. E, acima de tudo, falar com nossas autoridades e impor limites cada vez maiores e auditar os resultados da judicialização. São duas vertentes que desde que entrei aqui estamos trabalhando em busca da melhor gestão.

Leia também:

"É deselegante criticar o próprio governo", diz ex-secretário Kleinübing

"Não se conhece o que se gasta na Secretaria de Saúde", diz diretora do TCE

Estado projeta prazo de dois anos para ajustar contas da Saúde

Saúde: dívida é de R$ 768 milhões em SC

"Governo estuda Refis, nova taxa e outra gestão", diz secretário da saúde de SC

Leia todas as notícias do Diário Catarinense

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioSemana deve ser de sol e tempo seco em grande parte de SC https://t.co/sdQO3I2zMrhá 2 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCom lotação flexibilizada, Penitenciária de Florianópolis recebe presos no fim de semana https://t.co/fqab9G2jgMhá 2 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros