Prefeitura de Florianópolis tentará em Brasília manter R$ 2,3 milhões para o trapiche do João Paulo  - Cidades - O Sol Diário
 
 

Pesca Artesanal23/06/2017 | 16h27Atualizada em 23/06/2017 | 16h27

Prefeitura de Florianópolis tentará em Brasília manter R$ 2,3 milhões para o trapiche do João Paulo 

Edital foi lançado no última dia do prazo para garantia dos recursos e não teve nenhuma empresa interessada 

Prefeitura de Florianópolis tentará em Brasília manter R$ 2,3 milhões para o trapiche do João Paulo  Marco Favero/Agencia RBS
Sem a estrutura, pescadores disputam espaço na lama suja da praia do João Paulo junto a gaivotas e urubus Foto: Marco Favero / Agencia RBS

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, está aguardando uma agenda em Brasília com o ministro das Cidades, Bruno Araújo, para a próxima semana. Entre as pautas está a questão do trapiche do bairro João Paulo. A prefeitura perdeu a garantia de R$ 2,3 milhões do Governo Federal para o empreendimento e tentará recuperar o recurso.

No dia 20 de junho, último dia do prazo para publicar o edital para as obras, prefeitura lançou o documento. No entanto, nenhuma empresa se mostrou interessada. Gean Loureiro tentará agora uma nova extensão desse prazo. O prefeito também buscará recursos junto à Defesa Civil para obras de drenagem na cidade, castigada por fortes chuvas nas últimas semanas.

Conforme a assessoria de imprensa da Caixa Econômica Federal, para que a cidade não perca o recurso seria necessário iniciar as obras até o dia 30 de junho ou o Governo Federal autorizar o crédito do valor na conta vinculada ao projeto. Segundo o banco, a exemplo de anos anteriores, não está descartada, também, a hipótese de prorrogação do prazo.

A agenda, no entanto, não está confirmada. Nesta quinta-feira, o ministro Bruno Araújo esteve em Blumenau, onde fez a entrega de 100 unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida.

Os pescadores criticam o texto do edital e falam que ele é restritivo demais, por isso não houve interessados. Já a Prefeitura argumenta que nenhuma empresa questionou os itens do edital. A obra, aguardada há 20 anos, deverá beneficiar 77 famílias de pescadores artesanais.

Colônia de pescadores do João Paulo é a segunda maior da Ilha de SC Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Sobre o trapiche

O projeto prevê um porto pesqueiro artesanal de concreto com 250 metros de comprimento em forma de T, protegido de ressacas cíclicas,um sistema de cerca atenuando as ondas, pontões flutuantes para os barcos de pesca e lado direito para expansão de vagas e barcos de passagem.

No entanto, bem longe desta realidade vivem os pescadores do bairro. O esgoto que jorra no mar transformou a areia da praia em uma lama escura e poluída, e o mau cheiro é bem forte. Para piorar o cenário, dezenas de urubus enormes disputam com as gaivotas os restos de peixe.



O Sol Diário
Busca