"Professora que pediu fantasia de favelado não tem que ser punida", diz fundador da Cufa - Cidades - O Sol Diário

VÍDEO29/06/2017 | 19h19Atualizada em 30/06/2017 | 10h31

"Professora que pediu fantasia de favelado não tem que ser punida", diz fundador da Cufa

Celso Athayde comentou polêmica em colégio de Itajaí

Celso Athayde, ativista social e fundador da Central Única das Favelas (CUFA), no Rio de Janeiro, manifestou-se sobre o polêmico pedido do colégio Fayal, de Itajaí, para que as crianças comparecessem a uma festa fantasiadas de "favelado". Segundo pais de alunos, a sugestão era de que usassem bermudas, chinelos, camisetas e bonés.

Ele compartilhou a postagem de Willian Domingues, pai de um dos alunos da escola que se incomodaram com a visão estereotipada das favelas, e nesta quinta-feira gravou um vídeo, a pedido do DC, em que comenta o caso.

Athayde diz que os estereótipos demandam uma "reeducação", tanto dos professores quanto do restante da sociedade. Mas destaca o fato de o colégio Fayal ter pedido desculpas publicamente e reconhecido o equívoco.

Confira o vídeo:


 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioAlém da vitória, Avaí tem três objetivos no jogo contra o Cruzeiro https://t.co/OGIn0G4sfIhá 26 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioChapecoense vence o Vitória fora de casa por 2 a 1  https://t.co/PrevzUCUkxhá 13 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros