Usuários do transporte coletivo encontram alternativas durante a paralisação em Blumenau - Cidades - O Sol Diário

Cidade30/06/2017 | 19h22Atualizada em 30/06/2017 | 19h22

Usuários do transporte coletivo encontram alternativas durante a paralisação em Blumenau

Durante greve geral, cobradores e motoristas pararam as atividades das 14h às 16h desta sexta-feira

Usuários do transporte coletivo encontram alternativas durante a paralisação em Blumenau Lucas Correia/Agência RBS
Casal aguardava por retorno dos trabalhadores do transporte coletivo no Terminal do Aterro, em Blumenau Foto: Lucas Correia / Agência RBS

Alguns conseguiram carona com um colega de trabalho ou com um parente, outros chamaram táxis ou usaram o celular para pedir um Uber, em Blumenau. Das 14h às 16h, os usuários do transporte coletivo deram um jeito de contornar a paralisação, motivada pela greve geral. Até mesmo quem esqueceu da parada deu um jeito. Fizeram um lanche ou simplesmente esperaram pelo próximo ônibus que os levariam para o destino final.

Sentado em um dos bancos do Terminal do Aterro o jardineiro Paulo Lamim, 56 anos, aguardava pelo veículo que o levaria até a Rua Botuverá, na Itoupavazinha. Ele chegou ao local por volta do meio-dia e esqueceu completamente da paralisação que havia tomado conhecimento através do rádio no dia anterior. 

:: Servidores públicos votam proposta do Executivo durante greve geral em Blumenau

Esqueci mesmo e não fui só eu. Vi muitas pessoas que pegam o mesmo ônibus indo à pé até lá, mas resolvi esperar aqui mesmo — conta ao lado de Margarida da Silva, 65 anos, que também aguardava o recomeço das atividades no local.

Paulo Lamim e Margarida da Silva  Foto: Lucas Correia / Agência RBS

A aposentada não fazia ideia que ficaria sem transporte por duas horas nesta sexta-feira à tarde. Ela veio do Boa Vista, em Gaspar, e chegou ao Terminal do Aterro por volta das 13h10min. O casal de namorados não viu outra alternativa, sentou em um dos bancos e aguardou pelo próximo ônibus da linha que sairia apenas às 16h20min.

— Acho que eles (os trabalhadores) estão no direito de parar, mas deviam manter algumas linhas para não prejudicar as pessoas — comentou Margarida.

Confira como estava o Terminal do Aterro durante a paralisação:


:: Motoristas e cobradores de ônibus fazem paralisação-relâmpago em Blumenau 

Segundo a diretora do Sindicato dos Empregados nas Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau, Gaspar e Pomerode (Sindestrancol), Marlene Satiro, a parada teve 100% de adesão da categoria:

Nenhum trabalhador saiu no período de duas horas a não ser quem ainda estava em trânsito quando a paralisação começou — comemorou durante reunião em frente à prefeitura de Blumenau.

O sindicato informou, com antecedência, os usuários sobre a paralisação das atividades das 14h às 16h de sexta-feira. Eles aderiram ao dia nacional de protestos, com mobilizações e paralisações contra a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e a Lei da Terceirização.

:: Leia mais notícias de Blumenau e região em santa.com.br

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMorre, aos 74 anos, Carlos Alberto Silva, o "homem do chifre" https://t.co/d4O9k1qCQKhá 15 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioDecreto da prefeitura pode acabar com conselhos municipais de Florianópolis, dizem ONGs https://t.co/8UcR7kCPiWhá 15 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros