Risco de queimadas é alto no Oeste, Planalto Norte, Serra, Litoral Norte e Sul de SC devido ao tempo seco  - Cidades - O Sol Diário
 
 

Alerta26/07/2017 | 17h39Atualizada em 26/07/2017 | 17h39

Risco de queimadas é alto no Oeste, Planalto Norte, Serra, Litoral Norte e Sul de SC devido ao tempo seco 

Combinação de altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar ampliam chance de chamas se propagarem em caso de incêndios

Risco de queimadas é alto no Oeste, Planalto Norte, Serra, Litoral Norte e Sul de SC devido ao tempo seco  Diorgenes Pandini/Agencia RBS
Incêndio foi registrado na manhã desta quarta-feira na vegetação da Praia do Moçambique, em Florianópolis Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS
Diário Catarinense
Diário Catarinense

A baixa umidade do ar em todas as regiões de Santa Catarina acende o alerta para a possibilidade de queimadas em vegetação e florestas. Segundo Marcelo Martins, meteorologista da Epagri Ciram, órgão estadual de monitoramento do clima, o risco ou possibilidade de incêndio é de médio a alto em praticamente todas as regiões.

Isso porque a umidade relativa do ar em todo o Estado é baixíssima e as temperaturas têm subido entre o final da manhã e à tarde, combinação ideal para propiciar o alastramento de focos de incêndio.

Oeste, Meio-Oeste, Serra, Planalto Norte, Litoral Norte e o Sul do Estado são as regiões mais propensas, conforme medições das estações meteorológicas da Epagri Ciram.

– É onde está mais quente e mais seco – explica Martins.

Regiões mais críticas são destacadas em vermelho no levantamento da Epagri Ciram sobre risco de incêndio Foto: Reprodução / Epagri Ciram

Em julho, choveu, na maior parte do Estado, até 20 milímetros, explica o meteorologista Leandro Puchalski. Ele destaca que normalmente os volumes em julho ficam entre 90mm e 150mm em Santa Catarina. E não há previsão de volume relevante de chuva para os próximos dias em Santa Catarina.

Situação segue preocupante pelos próximos 15 dias

Nos próximos 15 dias deve passar apenas uma frente fria pelo Estado, aponta Marcelo Martins. Será na terça-feira e não deve trazer chuva significativa. Isso porque logo em seguida uma nova massa de ar frio e seco chega ao Estado e deve manter a umidade baixa por alguns dias. 

O tempo seco tem provocado estiagem em pelo menos nove cidades com estações hidrológicas da Epagri Ciram, como Forquilhinha, Chapadão do Lageado, Orleans, São Martinho, Passos Maia, Concórdia, Canoinhas, Meleiro e Rio Negrinho, onde a situação dos rios é de alerta ou emergência.

Também tem causado queimadas em vegetação, como no Parque Estadual do Rio Vermelho e na Praia do Moçambique, em Florianópolis, na manhã desta quarta-feira. 

Cuidados para evitar queimadas

A Defesa Civil de Santa Catarina recomenda atenção para o tempo muito seco que favorece o risco de focos de incêndio em áreas propícias. Segundo o órgão, não é recomendável jogar bituca de cigarros nas margens de rodovias, não queimar lixo doméstico e não fazer fogueiras nesse período. 

Para os agricultores, recomenda-se não colocar fogo nas pastagens e lavouras. Ao avistar um foco de incêndio, deve-se avisar imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo 193.

Leia também:
Nível dos rios é crítico por conta da falta de chuvas em pelo menos nove cidades de Santa Catarina

Operação tenta conter incêndio no Parque Estadual do Rio Vermelho 

Tempo seco aumenta alerta para focos de incêndio em Santa Catarina

O Sol Diário
Busca