Motorista detido após um dos dois acidentes em Jurerê será libertado ainda nesta segunda-feira - Cidades - O Sol Diário
 
 

Norte da Ilha07/08/2017 | 15h27Atualizada em 07/08/2017 | 20h42

Motorista detido após um dos dois acidentes em Jurerê será libertado ainda nesta segunda-feira

Eduardo dos Santos Rios participou de uma audiência de custódia nesta segunda, quando a Justiça definiu a fiança em três salários mínimos

Motorista detido após um dos dois acidentes em Jurerê será libertado ainda nesta segunda-feira Leonardo Thomé/Agência RBS
Veículo de Eduardo foi apreendido e levado para o pátio da Central de Polícia, na Agronômica Foto: Leonardo Thomé / Agência RBS
Diário Catarinense
Diário Catarinense

Será colocado em liberdade ainda nesta segunda-feira o motorista envolvido em um dos dois atropelamentos que ocorreram no final da madrugada de domingo, na saída de uma festa em Jurerê, no Norte da Ilha. Eduardo dos Santos Rios, 25 anos, conduzia um automóvel SsangYong e, segundo o boletim de ocorrência da Polícia Civil, atropelou novamente Sérgio Teixeira da Luz, que já havia sido atingido instantes antes por um Audi A3, quando três pessoas ficaram feridas.

Conforme o boletim, o SsangYoung de Eduardo ainda atingiu Maycon Mayer, de 22 anos, que prestava socorro ao atropelamento anterior.Eduardo deixou o local da batida, mas foi abordado por uma viatura da Polícia Militar na avenida Beira-Mar Norte, próximo ao Hotel Majestic, a 18 quilômetros do acidente. 

Na audiência de custódia realizada na tarde desta segunda-feira, a Justiça autorizou que ele fique em liberdade durante o andamento das investigações, desde que compareça mensalmente em juízo, além de comprovar ter trabalho e residência fixa.A decisão de soltura ainda aponta que o uso de tornozeleira eletrônica só não foi determinado porque não há equipamentos disponíveis para uso. A fiança foi definida em três salários mínimos. 

 De acordo com o boletim de ocorrência, Eduardo apresentava sinais de embriaguez e foi submetido ao teste do bafômetro, que acusou 0,74 miligramas de álcool. 

Advogado contesta boletim de ocorrência

O advogado que representa Eduardo no caso, Lucas Stofela, contesta as informações da Polícia Civil. Segundo o criminalista, ele teria atingido apenas uma das vítimas. O defensor diz que Eduardo não sabe dizer quem foi atropelado, mas afirma que não teria sido Rafael.

Ainda conforme o advogado, a defesa deve se manifestar contrária à tese de lesão corporal, indicando que o atropelamento ocorreu por culpa exclusiva de terceiros, ou seja, devido à movimentação das pessoas na pista.

O Sol Diário
Busca