Rua que liga Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui está com obras atrasadas há um ano e meio - Cidades - O Sol Diário

Norte da Ilha25/08/2017 | 07h50Atualizada em 25/08/2017 | 07h50

Rua que liga Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui está com obras atrasadas há um ano e meio

Em janeiro do ano passado, a Rua Padre Rohr deveria estar totalmente asfaltada, mas alguns trechos são um verdadeiro circuito de rali

Rua que liga Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui está com obras atrasadas há um ano e meio Diorgenes Pandini/Diário Catarinense
Seu Francisco utiliza a via diariamente de bicicleta para ir trabalhar Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

Quem sai do Terminal de Integração de Santo Antônio de Lisboa (Tisan) e pega a Rua Padre Rohr para ir até o bairro Sambaqui, em Florianópolis, encontra uma via com asfalto novo, calçada preservada, ciclovia e sinalização. Um quilômetro depois, o cenário muda totalmente: a pavimentação dá lugar ao chão batido cheio de buracos, pedras e ladeiras. Um verdadeiro circuito de rali.

A promessa da prefeitura era ter acabado as obras em janeiro do ano passado. A conclusão foi adiada duas vezes, e um ano e sete meses depois, não há um novo prazo. A via de 2,3 quilômetros cercada de propriedades rurais é uma ligação centenária entre os bairros Sambaqui e Santo Antônio de Lisboa. Devido às péssimas condições, caiu em desuso. Em janeiro de 2015, após reivindicação dos moradores, começou a revitalização.

O funcionário de serviços gerais Francisco Xavier, 62 anos, é morador da Barra do Sambaqui e trabalha em Santo Antônio de Lisboa. Utiliza a via diariamente, só que faz o percurso de bicicleta, o que dá em torno de meia hora. Ele conta que já viu diversos acidentes no local, inclusive o enteado dele quebrou a roda do carro em um capotamento.

— Há quase um ano está tudo parado aqui. E faltando poucos metros para terminar. Inclusive a placa da obra foi retirada daqui, dando a impressão que o serviço acabou. Mas não acabou.

Desapropriações

A prefeitura investiu cerca de R$ 5 milhões na obra através de recursos do Ministério das Cidades acompanhados pela Caixa Econômica Federal. O problema que emperra a continuidade são as desapropriações, 40 ao todo. 

Conforme a Secretaria de Infraestrutura de Florianópolis, as obras estão em ritmo lento, mas não paradas. A partir da semana que vem, haverá uma nova frente de trabalho que irá pavimentar mais 400 metros. A obra enfim vai continuar, pois a prefeitura conseguiu desapropriar um imóvel de forma amigável. No entanto, após a conclusão desta etapa, ainda ficarão faltando mais 300 metros, e para a pavimentação deste trecho, são necessárias três desapropriações.

Saiba mais:
Moradores se dividem quanto à obra na rua Padre Rohr, no Norte da Ilha

Trecho em que o asfalto termina Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

A Britagem Vogelsanger publicou um vídeo com o trecho asfaltado da rua Padre Rorh


Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMarquinhos fala da volta de Kozlinski aos titulares do Avaí: "Confiança do grupo ele tem" https://t.co/u033a8eZuzhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTécnico do Figueirense exalta grupo e diretoria: "Fizemos uma família" https://t.co/TgxY1wi2Tuhá 3 horas Retweet
O Sol Diário
Busca