Conheça as influências de outras culturas na culinária catarinense - Diversão & Estilo - O Sol Diário
 
 

Mosaico gastronômico08/11/2013 | 09h55

Conheça as influências de outras culturas na culinária catarinense

Em seu livro 'Gourmandises Catarinenses', João Lombardo detalha como outras etnias modificaram a cozinha local

Conheça as influências de outras culturas na culinária catarinense Markito/Divulgação
Influência alemã trouxe embutidos finos, como salsichas e linguiça Blumenau Foto: Markito / Divulgação

Assim como o poema de Antoine de Saint-Exupéry, cada povo que passou por Santa Catarina deixou um pouco de si e de sua cultura. Dos indígenas aos europeus, várias etnias contribuíram com técnicas e receitas que formam o rico mosaico do que conhecemos como culinária catarinense.

O HOMEM DO SAMBAQUI – Primeiro habitante do litoral e das margens de rios, ele vivia da coleta de moluscos, crustáceos e peixes e foi o desbravador desta cultura de alimentação em Santa Catarina.

CULTURA INDÍGENA – Os índios carijós deixaram as primeiras contribuições de ingredientes e técnicas para a culinária catarinense, principalmente sobre o hábito de comer mandioca. Estima-se que eles chegaram ao litoral cinco ou seis séculos antes dos europeus.

NAVEGADORES – O porto da Ilha de Santa Catarina foi muito usado como ponto de apoio no trajeto para o Rio da Prata e o Oriente até o fim da década de 1530. Intempéries e a vida dura nas embarcações forçavam os marinheiros a se integrarem aos indígenas.

BANDEIRANTES E VICENTINOS – O litoral catarinense começou a ser ocupado por bandeirantes e vindos de São Vicente, futuro Estado de São Paulo, a partir da primeira metade do século XVII. Com base indígena, a culinária recebe as primeiras influências externas.

AÇORIANOS – Entre 1748 e 1756, seis mil açorianos desembarcaram na vila de Nossa Senhora do Desterro. Esses imigrantes assimilaram os produtos da terra, usando temperos e especiarias. Aprenderam a cultivar a mandioca, integrando a farinha em diversas receitas portuguesas. O pirão é o maior exemplo do encontro das duas culturas.

AFRICANOS – Vindo de outras regiões brasileiras, os africanos contribuíram principalmente para o consumo de pimentas. A grande influência no cardápio aparece nos pratos à base de frituras, papas e cozimentos com quiabo, amendoim e azeite de dendê.

ALEMÃES – Esses europeus entraram no Estado a partir de 1850. Habilidosos, produziam pães, cervejas, linguiças, fiambres e carnes defumadas.

ITALIANOS – Os primeiros começaram a chegar a partir de 1875, integrando a maior corrente migratória do Estado. Além da polenta, do frango ensopado e das massas à base de trigo e ovos, os italianos foram responsáveis por desenvolver a vitivinicultura catarinense.

GAÚCHOS – Trouxeram o hábito de consumir a carne bovina. O churrasco se tornou um prato típico da serra catarinense.

DIÁRIO CATARINENSE

O Sol Diário
Busca