Veja a programação do Palco Giratório em Florianópolis de 1 a 15/8 - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Agende-se03/08/2016 | 10h21

Veja a programação do Palco Giratório em Florianópolis de 1 a 15/8

Principal circuito de artes cênicas em Santa Catarina ocorre durante todo o mês de agosto nos principais teatros da Capital, além de performances na rua

Veja a programação do Palco Giratório em Florianópolis de 1 a 15/8 Ma¿rcio Vasconcelos/Divulgação
Foto: Ma¿rcio Vasconcelos / Divulgação

2 e 3 /8, às 20h, no Teatro Pedro Ivo
Dente de Leão, Grupo Espanca (Belo Horizonte/MG)

Sinopse: Um grupo de alunos troca ideias sobre suas vidas e projeta o futuro enquanto mata aulas no auditório do colégio. No final do ano, pais e professores se juntam aos estudantes na esperada Feira de Ciências. Insatisfeitos com seus destinos, os adolescentes preparam uma apresentação capaz de questionar as imagens que representam e abalar as instituições que os rodeiam.
Classificação indicativa: 14 anos /60 minutos / Categoria: Teatro Adulto

3/8, às 18h, no Largo da Catedral, Centro
Flor de Macambira, Coletivo Ser Tão Teatro (PB)
Sinopse: Flor de Macambira é uma festa popular com música, comicidade, cor e teatralidade que conta a história da jovem Catirina, a mais bela flor da Fazenda Macambira, que sucumbe aos vícios e tentações mundanas e, para salvar-se a si e a seu amado, mergulha nas profundezas de sua alma.    
Classificação: Livre /58 minutos / Categoria: Espetáculo de Rua

4 e 5/8, às 15h, no Largo da Catedral, Centro
A Carroça é nossa, Grupo Xama Teatro (São Luis/MA)
Sinopse: Tudo começa com um sonho de Pedoca (Lauande Aires), em que vê a si próprio em uma carroça puxada por um burro. Ao despertar, encontra a carroça, mas não o animal que pudesse puxá-la. Em sua busca pelo burro, encontra Toinha (Gisele Vasconcelos), que sonha por um amor verdadeiro; Joaninha (Cris Campos), que anseia por proteção e Cecé (Renata Figueiredo), cujo sonho é encontrar sua família. Durante a busca, percebem que precisam desvendar um enigma que envolve não só a carroça como os seus destinos.           
Classificação: Livre / Duração: 70 minutos / Categoria: Espetáculo de Rua
 
5/8, às 18h30 e 21h, no Teatro Ademir Rosa (CIC)
Why The Horse? Grupo Pândega de Teatro (São Paulo/SP)
Sinopse: O espetáculo surge de um pedido feito pela diretora artística do Grupo Pândega de Teatro, Maria Alice Vergueiro, aos seus integrantes: morrer em cena. Instigada pelo tema da morte e reconhecendo seu próprio e natural receio diante do fim, bem como a força artística que envolve, a atriz convocou seus parceiros de grupo para a criação de um espetáculo em que pudesse ensaiar seu derradeiro momento. Aos 80 anos e mais de 50 de palco, Maria Alice não pensa em parar. Em suas palavras, sempre um pouco irreverentes: "com sorte pode ser que eu morra em cena. Se não, estaremos de volta no dia seguinte".  
Classificação: 16 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro Adulto
 
6/8, às 20h, no Teatro Sesc Prainha
Real, Grupo Espanca (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: Um linchamento, um atropelamento, um movimento grevista e uma chacina policial. ¿Real¿, a mais nova criação do grupo Espanca! reúne quatro peças curtas, inspiradas em acontecimentos reais que pertencem à memória recente das cidades brasileiras.
Classificação: 16 anos / Duração: 120 minutos / Categoria: Teatro Adulto

7/8, às 15h, no Largo da Catedral – Centro de Florianópolis
Manotas Musicais, Grupo Trampulim (MG)
Sinopse: Manotas Musicais usa a música como ferramenta de jogo para o palhaço. Com um repertório eclético, jogos musicais e gags tradicionais de palhaço, o espetáculo é uma jornada recheada de humor, diversão e muitas surpresas.               
Classificação: Livre / Duração: 75 minutos / Categoria: Circo, Rua
 
9/8, às 20h, no Teatro Sesc Prainha
Espetáculo de dança A Projetista, Dudude (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: Em um projeto não existe nada além de um enorme espaço vazio a ser ocupado, sua nutrição é a vontade, o desejo de existir, de voar. A Projetista transita por terrenos áridos, secos, desnutridos, muito rasos. Todos repletos e plenos de possibilidades de construção, onde só a imaginação alcança. Ela se utiliza do nada para preencher o vazio do mundo. Projeta-se no espaço um pouco mais a frente...           
Classificação: 12 anos / Duração: 70 minutos / Categoria: Dança

10/8, às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)
Espetáculo de dança Jacy, Grupo Teatro Carmin (Natal/RN)  
Sinopse: Uma frasqueira encontrada no lixo contendo vestígios de vida de uma mulher de 90 anos. Este fato real levou o grupo Carmin a conduzir uma investigação que durou três anos e que, em agosto de 2013, resultou na peça de teatro documental intitulada: JACY. Durante 1 hora de espetáculo, o grupo revela todo o processo dessa investigação e convida a plateia para acompanhar a vida de uma mulher comum que atravessou a 2ª Guerra mundial e a ditadura no Brasil, esteve no centro de um importante conflito da política no RN, viveu um amor estrangeiro e terminou os seus dias sozinha em Natal. Com textos dos filósofos Pablo Capistrano e Iracema Macedo, Jacy é uma peça cômico-trágica que revela fatos sobre o abandono dos idosos, a política e o crescimento desenfreados das cidades que, por muitas vezes, ignoramos.
Com tradução em libras e audiodescrição. Haverá também um bate-papo sobre acessibilidade em espetáculos teatrais, das 14h30 às 16h30, no Sesc
Classificação: 12 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Dança

10/8, às 18h30, na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti
Exposição Arena conta...- Teatro e resistência no Brasil (1965-1970)
A companhia de Teatro de Arena e o trabalho do dramaturgo Augusto Boal são temas da mostra ¿Arena Conta... Teatro e Resistência no Brasil (1965-1970)¿, uma realização do Sesc em parceria com o Instituto Augusto Boal. A exposição relembra a importância da trajetória do Teatro de Arena, sua militância e engajamentos político e artístico no Brasil. São 07 painéis que revelam a história do Teatro de Arena, repletos de fotografias de artistas, autores e elenco técnico em ação durante os espetáculos Arena conta Zumbi, Arena conta Tiradentes, e Arena conta Bolivar.           
Visitação: 11 a 26 (seg a sex), 13h às 19h
 
11/8, às 20h, no Teatro Sesc Prainha
Espetáculo Pequenas Violências - silenciosas e cotidianas, Cia. Teatro di Stravaganza (RS)

Pequenas Violências silenciosas e cotidianas, da Cia Teatro Stravaganza (RS) Foto: Vilmar Carvalho / Divulgação

Sinopse: O mote da peça parte de um fato corriqueiro e aparentemente sem maior gravidade: um atropelamento no qual não há vitimas fatais. A partir do olhar de diferentes testemunhas desse acidente a trama evolui como um quebra cabeça e acaba revelando que, por trás desse acontecimento `banal¿ - algo mais terrível está para ocorrer. A peça traz uma encenação inovadora, realizada inteiramente com a luz de lanternas manipuladas pelos próprios atores. O texto foi vencedor do Prêmio de Dramaturgia Ivo Bender (2011) da Prefeitura de Porto Alegre e do Instituto Goethe. A montagem recebeu o Prêmio Açorianos (SMC-PoA) de Melhor Dramaturgia e os Prêmios Braskem de Melhor Espetáculo e Melhor ator de 2014.             
Classificação: 14 anos / Duração: 55 minutos / Categoria: Teatro adulto

12/8, às 20h, no Teatro Sesc Prainha
Espetáculo WWW Para Freedom, Barracão Teatro (Campinas/SP)
Sinopse: Espetáculo de palhaço sobre a guerra para ser livre. WWW para Freedom é um código de operação militar. Soldados são mandados para libertar um povo de um terrível ditador. Mas um soldado, na hora de bombardear o alvo, questiona para que serve tudo aquilo e faz uma operação, não militar, em nome da liberdade na qual acredita.  De que liberdade estamos falando? Livrar-se de quem? Livrar-se de que?  É preciso a guerra para estar em paz?
Classificação: 12 anos / Duração: 70 minutos / Categoria: Circo

13/08, às 13h, em frente ao Teatro Álvaro de Carvalho
Foto dos Pare(s)ntes - Bodas de Cristal. Registro/Memória/Cartografia/Monumento/Presentificação/Foto de família
Somos todos pare(s)ntes/Reconhecemo-nos como parentes, tal qual etnias indígenas

Sinopse: Convocamos todos os grupos de teatro de Florianópolis, quiçá de todo o estado de SC, para registrarmos em uma Foto dos pare(s)ntes nossa memória, história e presença. Uma imagem onde nos reconheceremos pertencentes a um mesmo grande grupo que tem o mesmo ofício – grupos de teatro. A força de todo o coletivo reside nas reuniões, abaixo assinados, manifestos, apresentações etc., mas também pode residir em uma foto. Uma foto que celebrará os anos de todos os grupos presentes, do mais jovem ao mais velho, nos fazendo existentes e potentes para as próximas lutas e para os próximos anos de sobrevivência e trabalho.

Traço, Persona e ERRO Grupo celebram 15 anos em 2016 com o projeto Bodas de Cristal do Sesc em Florianópolis (Prainha). Como ato de encerramento deste projeto e também de continuidade da atividade de teatro de grupo, convocamos todos os grupos de teatro para uma Foto dos pare(s)ntes. Queremos registrar e celebrar não só nossos 15 anos, mas também o tempo de atividade de nossos pare(s)ntes. Caso não seja possível comparecer pessoalmente para a foto, faremos menção de todos os pare(s)ntes que se manifestarem. Caso desejem fazer uma foto em sua cidade, reunindo os pare(s)ntes da região, encorajamos a ação, para que mais Fotos dos pare(s)ntes sejam realizadas. Bodas dos pare(s)ntes – 15 anos em grupo é um ato de resistência, venha celebrar conosco!
 
13/8, às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)
Espetáculo A Julieta e o Romeu, Barracão Teatro (Campinas/SP)
Sinopse: A renomada atriz Mafalda Mafalda e seu estagiário apresentam seu repertório de cenas do famoso William Shakespeare. Os dois palhaços mostram o quanto são deliciosamente inseparáveis em suas interpretações nada convencionais de Otelo, Macbeth, Desdêmona, entre outros.
Classificação: 12 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Circo

14/8, às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC)
Espetáculo Cachorros não sabem blefar, Cia. 5 Cabeças (MG)
Sinopse: Caio sempre olha para seu relógio que insiste em marcar o mesmo horário: 9 e 15. O problema não são as pilhas. Provavelmente está quebrado. Ou então cansou-se. O que seria lastimável para um relógio. Adamastor odeia o nome Caio. Cristina não quer morrer virgem e odeia Caio, seu namorado. Caio, que não é o namorado de Cristina, apresenta-se para as pessoas com o nome de Adamastor, pois sabe que assim são capazes de suportá-lo. Adamastor acredita que tartarugas são perigosíssimas. Certa vez perdeu toda sua fortuna para um jabuti. Verônica nunca sabe se está ou se não está nua. Já perdeu vários empregos por causa disso. Alguns porque estava nua. Outros porque estava vestida. Berenice procura seu cachorro. Ele está sozinho em casa e não sabe abrir pacotes de ração e nem a geladeira. E um detalhe importante: ele não late. De jeito nenhum. Talvez não exista. Não existem cães que não saibam latir. E tartarugas que não saibam blefar. Por isso são excelentes parceiras de pôquer. Já os cachorros não. Cachorros não sabem blefar.     
Faixa etária: 12 anos / Duração: 55 minutos / Categoria: Teatro Adulto

16/8, 10h e 15h, no Teatro Sesc Prainha
Contação de histórias Evaristo, a Cutia, Pochyua Andrade (Blumenau/SC)
Sinopse: Evaristo é uma cutia que vive na mata ciliar de uma cidade com um acelerado ritmo de crescimento urbano. Interagindo com a natureza e com as modernidades do homem, Evaristo vai tentando aprender e ensinar a viver de maneira harmoniosa. Classificação: Livre
 


-->

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioEm 2011, Colombo encaminhou à Assembleia projeto que permitiria venda de parte da Casan https://t.co/TAFTErvT5ohá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTiroteio em escola nos Estados Unidos deixa três feridos https://t.co/IxJzZH9IrDhá 4 horas Retweet
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros