8 documentários que você não pode perder no Planeta DOC. 2016 - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Pelo bem do mundo24/10/2016 | 06h00Atualizada em 24/10/2016 | 16h34

8 documentários que você não pode perder no Planeta DOC. 2016

Festival Internacional de Cinema Socioambiental começa no dia 24 em Santa Catarina e exibe mais de 80 filmes 

8 documentários que você não pode perder no Planeta DOC. 2016 No Impact Man/Reprodução
Cena do documentário "O homem sem impacto", que mostra a totina de uma família que abdica de usar eletricidade, comprar comida empacotada ou coisas novas Foto: No Impact Man / Reprodução

Começa nesta segunda mais uma edição do Festival Internacional de Cinema Socioambiental Planeta.Doc em Santa Catarina. A Mostra Lixo Zero abre a programação e exibe 12 filmes sobre lixo e reciclagem até o dia 30. Em parceria com a mobilização nacional Semana Lixo Zero, terá sessões abertas e gratuitas no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. Já no SESC Prainha, UFSC e UDESC, na Capital, e nas cidades de Ibirama, Laguna, Joinville, Balneário Camboriú as exibições serão fechadas para estudantes.

Além da Mostra Lixo Zero, a terceira edição do Planeta.Doc continua até o dia 13 de novembro com a exibição de 80 filmes premiados em festivais de cinema como Sundance, Cannes e de Berlim. Todas as produções são com temáticas relacionadas ao planeta. A programação inclui as mostras não-competitivas Cidades Humanas, Ecozine, Cinemateca da Embaixada da França e Mostra Diretores.

Outro destaque será o Planeta.Doc Conferências, nos dias 3 e 4 de novembro, com a participação de cientistas e especialistas na área socioambiental. Os encontros serão no Auditório Garapuvu da UFSC.

— O Planeta.doc procura fomentar um projeto educacional de aprofundamento na compreensão dos principais dilemas da sociedade — afirma Mônica Linhares, diretora do Festival. Segundo ela, todas as soluções pra melhorar o planeta passam por uma adaptação cultural, pela quebra do paradigma do descarte para uma cultura do encaminhar e do cuidar.

Oito filmes que valem a pena ver:

1. A tragédia do lixo eletrônico
De Cosima Dannoritzer. Doc. ESP - FRA. 86min 
Exibições: quarta-feira, às 10h no SESC Prainha e quinta-feira, às 20h no CIC.

Uma jornada investigativa pelo mundo do tráfico ilegal do lixo eletrônico, revelando um comércio tóxico global alimentado pela sede de lucro e pela corrupção.

2. Bag It
De Suzan Beraza. Doc. EUA. 74min
Exibições: segunda-feira, às 9h30 no CIC e às 10h, no Sesc Prainha. Quarta-feira, às 19h no auditório do CCE na UFSC

Neste descontraído e ao mesmo tempo tocante documentário, o protagonista Jeb Berrier sai em turnê global para desmascarar as complexidades do mundo plastificado. O que começa como um filme sobre sacolas plásticas se torna uma investigação sobre os efeitos que uma simples sacola pode causar nos rios, oceanos e até no corpo humano.

3. Lixo Tóxico (Toxic Trespass)
De Barri Cohen. Doc. CAN. 80min
Exibição: quarta-feira , às 14h15 no CIC.

Com foco na saúde infantil, a obra acompanha a investigação acerca da realização do atual experimento toxicológico de larga escala, o que traz uma nova reflexão sobre o lixo. As entrevistas de cientistas, doutores, ativistas e outros envolvidos discutem a importância do cuidado e do equilíbrio no uso de elementos tóxicos e como estes prejudicam seriamente a saúde e desenvolvimento das crianças.

4. Homem sem Impacto (No impact man)
De Justin Schein e Laura Gabbert. Doc. EUA. 93min
Exibições: segunda-feira, às 19h na UDESC; quinta-feira, às 9h30 no CIC e às 15h no Sesc Prainha; domingo, às 20h no CIC.

Mostra o dia a dia de uma família que abdica de usar eletricidade, comprar comida empacotada ou coisas novas. Mais do que um manual de como ser um humano mais sustentável, o documentário cria uma oportunidade de se filosofar sobre o assunto.Se uma família urbana novaiorquina pode ser ¿no impact¿ (sem impacto), podemos nós ser ao menos ¿low impact (baixo impacto ambiental)? E se essa fosse a única saída para o planeta, poderíamos?

5. Lixo Zero (Zero Waste) 
De Raffaele Brunetti. Doc. ITA. 52min 
Exibição: terça-feira, 9h30 no CIC. 

Uma viagem tragicômica pela cidade de Nápoles que vive à sombra de enormes e surreais pirâmides de lixo, feita na companhia de padres, mafiosos, ativistas, santos, magistrados, policiais, jornalistas, garçons e dois indivíduos excepcionais: o prefeito de Nápoles e um professor americano que defende que a geração de lixo pode ser reduzida a Zero. Após décadas de crise do lixo Nápoles parece ter uma nova esperança graças a um louco utópico – o prefeito, que propunha em sua campanha tratar da máfia do lixo e fomentar a cidadania para melhorar a gestão do lixo.

6. Bernunça Composers
De Renan Ramos Rocha. Doc. BRA. 5min
Exibições: quarta-feira, às 14h15 no CIC; quinta-feira, às 10h no auditório do CCE na UFSC e às 15h no Sesc Prainha. 

Em 2015, o engenheiro ambiental Pedro Palermo inicia um sólido trabalho de gestão de resíduos na escola Batista Pereira, em Florianópolis. O objetivo é mobilizar diferentes setores para a educação agroecológica e promover a comunicação entre gestores, professores, funcionários e alunos, ampliando a consciência sobre a reciclagem e otimizando a alocação de resíduos orgânicos da escola.

7. E-Wastland
De David Fedele. Doc. AUS. 20min
Exibição: terça-feira, às 14h15 no CIC.

Alguma vez você já se perguntou o que acontece aos seus eletrodomésticos ao final de sua vida útil? O filme apresenta o retrato visual da reciclagem ilegal de lixo eletrônico em Agbogbloshie, uma enorme favela localizada em Acra, capital de Gana, onde está localizado o maior lixão de eletrônicos do mundo.

8. REUSE! Porque não se pode reciclar o planeta (REUSE! Because You Can¿t Recycle The Planet) 
De Alex Eaves. Doc. EUA. 60min
Exibições: quarta-feira, à 15h no Sesc Prainha e às 21h no auditório do CCE na UFSC; quinta-feira, às 17h30 no CESFI de Balneário Camboriú; domingo, às 21h30 no CIC. 

O filme mostra como o simples reuso de diversos itens do nosso dia a dia que são usualmente descartados pode mudar o destino planetário. Numa aventura que atravessa 48 estados norte-americanos, o documentário apresenta soluções de reutilização de resíduos fáceis e divertidas e.... revolucionárias. Porque não se pode reciclar o planeta.

Horários e programação completa abaixo:

Onde: Centro Integrado de Cultura (Av. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis. Fone: (48) 3664-2555)


 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros