Lágrimas de Lulu e show de nigeriano-gaúcho salvam a morna terceira noite do The voice Brasil - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Episódio monótono21/10/2016 | 00h51Atualizada em 21/10/2016 | 15h39

Lágrimas de Lulu e show de nigeriano-gaúcho salvam a morna terceira noite do The voice Brasil

Morador de Porto Alegre, Lumi levantou a plateia com "Cheerleader"

Lágrimas de Lulu e show de nigeriano-gaúcho salvam a morna terceira noite do The voice Brasil Gshow / Reprodução/Reprodução
Lumi nasceu na Nigéria, mas mora em Porto Alegre há mais de uma década Foto: Gshow / Reprodução / Reprodução

Por mais que o The voice Brasil se proponha a encontrar a tal "grande voz" do país, às vezes o programa mais parece um disco que empacou na mesma música. Morno, o terceiro dia de audições às cegas conseguiu se salvar do marasmo com a inusitada apresentação de um nigeriano radicado em Porto Alegre. Algumas poucas lágrimas derramadas por Lulu Santos também marcaram a noite, assim como uma apresentação cover de Joelma, do ex-Calypso, e a surpreendente voz grave de uma garota de 17 anos. Por isso, não é exagerado dizer: esse foi o episódio mais monótono da temporada até agora.

O primeiro a se apresentar, por sorte, foi Lumi, nascido na Nigéria e morador da capital gaúcha há 11 anos. Ele chegou levantando o público: cantou o hit Cheerleader, do jamaicano Omi. E se Claudia Leitte levou um fora no último programa, agora ganhou do artista um "Claudia, você é minha Cheerleader (líder de torcida, em inglês)".

Leia mais:
"The voice Brasil": em noite de fora em Claudia Leitte, meninas roubam a cena 
Aos 16 anos, gaúcha Cristyéllem Camargo conquista Carlinhos Brown com tango
Claudia Leitte se assanha para candidato no The voice Brasil e leva fora

Lulu Santos abraça Anna Akisue, que cantou "Apenas mais uma de amor" Foto: Gshow / Divulgação

Depois, subiu ao palco a graciosa Anna Akisue, que apostou na canção Apenas mais uma de amor em um arranjo diferente. Se a ideia era conquistar o dono da música, Lulu Santos, ela conseguiu. O técnico virou a cadeira visivelmente emocionado – com direito a algumas lágrimas. Já Nira Duarte, direto do Pará, incorporou a vocalista Joelma e cantou Pra te esquecer em um timbre muito parecido com o da artista paraense. Quando resolveu jogar o cabelão para frente — marca registrada de Joelma— , arrancou gritos da plateia.

Mas talvez a surpresa no quesito voz tenha ficado por conta do show de Kassia Marvila, de 17 anos, do Rio de Janeiro. Com um tom grave e único, a jovem interpretou Coleção, de Cassiano e Paulo Zdanowski. Quando os técnicos viraram as poltronas, Teló soltou: "Achei que era homem!".

Também não passaram (totalmente) despercebidas as apresentações de Cammie, de apenas 16 anos, que cantou Listen, de Beyoncé, e da experiente Fabiane Alcântara, de 34 anos, que investiu em Eu não quero mais, da funkeira Ludmilla.

P.S: Os técnicos Lulu Santos, Carlinhos Brown, Claudia Leitte e Michel Teló estão sempre reafirmando que são amantes de música, que não escolhem por "estilos musicais", enfim. Mas vocês não acham que o Lulu faz cara feia quando "precisa" virar (acho que por causa de sua estratégia, sei lá) para os sertanejos? Notei isso na apresentação do Bruno Gadiol. Visivelmente ele estava incomodado.Polêmica.

P.S: Só eu tenho pena do Michel Teló? Ninguém escolhe ele. É uma raridade isso acontecer. Chego a ficar constrangida. #alguémescolheotelóporfavor

Leia outras notícias de entretenimento e cultura em ZH


 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros