Vírus da zika é transmitido por agulhas e feridas, segundo pesquisa - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Descoberta15/11/2016 | 20h48Atualizada em 15/11/2016 | 20h58

Vírus da zika é transmitido por agulhas e feridas, segundo pesquisa

Conforme autores de estudo, vírus pode sobreviver por pelo menos oito horas em superfícies duras não porosas, como agulhas

Vírus da zika é transmitido por agulhas e feridas, segundo pesquisa Diego Vara/Agencia RBS
Foto: Diego Vara / Agencia RBS

Uma pesquisa apresentada nesta terça-feira, na reunião anual da Associação Americana de Cientistas Farmacêuticos (AAPS, na sigla em inglês), nos Estados Unidos, mostra que, embora a forma mais comum de transmissão do vírus da zika seja através da picada do Aedes aegypti, cientistas acreditam que ele pode ser transmitido se um indivíduo for furado com agulha infectada ou se tem um corte aberto e entra em contato com o vírus vivo. As informações são do jornal O Globo

Conforme o entendimento dos cientistas, o vírus pode sobreviver por pelo menos oito horas em superfícies duras não porosas, como agulhas. Ainda segundo a pesquisa, houve pelo menos um caso documentado de zika adquirido dentro de um laboratório de coleta de sangue.

Leia mais
Morena Baccarin entra na justiça contra ex-marido para trazer filho ao Brasil
Ministério da Saúde muda critérios para identificar danos causados pelo zika em bebês
Um ano após emergência por microcefalia, incertezas sobre o zika reforçam importância da prevenção 

Para o mesmo estudo, foram realizados testes com soluções comumente utilizadas em laboratórios e outros ambientes clínicos, como álcool isopropílico, lixívia diluída, amônio quaternário/álcool, ácido peracético e soluções de pH 4 ou pH 10. O resultado mostra que, quando o vírus estava em um ambiente sem sangue, essas substâncias foram eficazes para inativá-lo. Entretanto, em ambientes onde o zika estavam associados com sangue (como uma pia suja de sangue), nem alvejantes nem ácido paracético se mostraram eficientes para matar o vírus.

— A boa notícia é que descobrimos que os desinfetantes, como álcool isopropílico e amônia quaternária, geralmente são eficazes para matar o vírus neste tipo de ambiente (com sangue) e podem fazê-lo em cerca de 15 segundos — explica o principal pesquisador do estudo, Steve Zhou, diretor de virologia e biologia molecular dos Laboratórios Microbac.

Leia as últimas notícias de Vida e Estilo

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros