História de José Aldo será exibida a partir desta terça-feira na RBS TV - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Duro na queda03/01/2017 | 10h39Atualizada em 03/01/2017 | 10h39

História de José Aldo será exibida a partir desta terça-feira na RBS TV

Minissérie em quatro episódios adapta longa-metragem lançado nos cinemas em junho, com José Loreto no papel do lutador campeão mundial 

História de José Aldo será exibida a partir desta terça-feira na RBS TV Paris Filmes/Divulgação
José Loreto como José Aldo Foto: Paris Filmes / Divulgação

Lançado nos cinemas em junho com o título Mais forte que o mundo — A história de José Aldo, o filme com a trajetória do campeão brasileiro do MMA (sigla em inglês para artes marciais mistas) será exibido a partir desta terça-feira na RBS TV como minissérie em quatro episódios, até sexta, após a novela A lei do amor.

O ator Jose Loreto vive José Aldo, amazonense que alcançou o título mundial do UFC (Ultimate Fighting Championship) na categoria peso pena e ficou por 10 anos invicto — até perder o cinturão em dezembro de 2015. Quem dirige é Afonso Poyart, conhecido pelo filme de ação 2 Coelhos (2012) e o suspense sobrenatural Presságios de um crime (2015), que rodou nos EUA com os astros Anthony Hopkins e Colin Farrell.

Noveleiros: "Sol Nascente": Mario descobre crime de César e é jurado de morte
QUIZ: você sabe de qual edição do "BBB" participaram estes brothers?

A versão para a televisão do longa-metragem, que tem roteiro original  de Poyart e Marcelo Aleixo Machado, ganhou o tom de um docudrama, com o acréscimo tanto de cenas ficcionais não usadas na edição do filme quanto de imagens reais do próprio José Aldo em diferentes épocas, como trechos de  lutas históricas e depoimentos de familiares e amigos.

— A ideia central foi expandir ainda mais essa história — explica Moura. — A minissérie traz para dentro do filme trechos documentais do José Aldo real, que são misturadas ao José Aldo interpretado pelo Loreto. Há um momento muito especial, entre outros, quando a câmera segue Aldo, logo depois da vitória contra Frankie Edgar, em 2016, e vemos, nos bastidores, a catarse emocional do lutador que acabava de sair do ringue, ao lado do técnico e toda sua equipe. São imagens fortes e comoventes quase nunca vistas pelo público. Já tivemos outras experiências recentes deste cruzamento de linguagens na TV, com Gonzaga — De pai para filho, de Breno Silveira, Tim Maia, de Mauro Lima, e Alemão, de José Eduardo Belmonte. A TV aberta é um ótimo veículo para este gênero, pois comporta tanto a dramaturgia pura quanto o jornalismo. O mix é um formato que se comunica muito bem com os telespectadores, que não estranham essa terceira linguagem que nasce da fusão da dramaturgia com o documentário.

À época do lançamento do filme nos cinemas, Poyart disse que foi convidado pelo projeto pela distribuidora Paris Filmes, que queria um filme sobre MMA, esporte que se tornou muito popular no Brasil.

– Eu não conhecia esse universo, fui pesquisar e encontrei o José Aldo. O que me chamou a atenção na história dele foi sua conexão emocional muito forte com o pai. E fui entendendo que não seria um filme de luta, mas sim sobre um homem lidando com seus demônios — disse o diretor em entrevista a Zero Hora.

A produção do longa ficou parado por um tempo, e o papel de José Aldo chegou a ser endereçado a Malvino Salvador, até que Loreto voltou ao projeto. Aldo  Mais forte que o mundo, título da minissérie, destaca a juventude do lutador em Manaus, em meio aos conflitos domésticos protagonizados pelo pai alcoólatra e violento (Jackson Antunes), que descarrega suas frustrações cotidianas surrando a mulher (Cláudia Ohana). Para proteger a mãe e as duas irmãs menores, José Aldo passa a encarar o pai. E é este, em seus momentos de terna lucidez, que encoraja o filho ao tentar a sorte no Sul.

Já vivendo no Rio, José Aldo vai morar e fazer pequenos serviços em uma academia.  E logo cai nas graças do proprietário e treinador Dedé Pederneiras (Milhem Cortaz), que identifica na turbulência emocional do rapaz o combustível de sua força e fúria. E é nesse ambiente que José Aldo também se encanta por uma lutadora, sua futura mulher Vivi, (Cléo Pires).

— É uma história de amor, um drama, um filme de ação e de luta – destaca Poyart. – Mais do que tudo, é sobre a saga de um homem em busca de um lugar ao sol, que precisa resolver uma série de questões internas para se tornar um verdadeiro campeão dentro e fora do octógono. Já fiquei nervoso na época do lançamento do filme nos cinemas, agora a expectativa é a melhor possível. Vamos chegar a todas as casas.

José Aldo complementa:

— A minha história poderia ser a de qualquer pessoa neste país. Muitas pessoas passaram pelo que passei. Eu espero que a série possa inspirar bastante gente a seguir os seus sonhos e alcançá-los.

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol Diário"Não sei o que fazer com o preso de Joinville", diz secretário estadual após interdição de presídio https://t.co/SSsyjG0gmWhá 1 horaRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioUdesc e Projeto Baleia Franca iniciam estudos para avaliar impacto de observação de baleias em SC https://t.co/BZH4XetICfhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros