Mart'nália canta sucessos dos 30 anos de carreira em show em Florianópolis - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Mart'nalices19/01/2017 | 03h03Atualizada em 19/01/2017 | 07h06

Mart'nália canta sucessos dos 30 anos de carreira em show em Florianópolis

Em entrevista, cantora falou do novo trabalho, o disco "+ Misturado", produzido por seis músicos e que acabou de sair do forno

Mart'nália canta sucessos dos 30 anos de carreira em show em Florianópolis Marta Azevedo/Divulgação
Foto: Marta Azevedo / Divulgação

Nascida em meio a sambas e noitadas, Mart'nália, 51 anos, diz que cantar foi o que sobrou:

— Nunca achei que minha voz fosse servir para as pessoas ouvirem. Eu gostava de ficar no palco. Gosto de ser assistente, porque posso ficar tocando, posso cantar um pouquinho, virar pra trás. Então a vida foi me levando para isso, foi o que sobrou — contou, por telefone, enquanto voltava da praia e acenava para um e outro conhecido pela rua.

O canto negro, doce e suingado, a leveza e a despretensão levaram Mart'nália longe. Neste começo de 2017 ela completa 30 anos de carreira e a celebração é com o recém-lançado + Misturado, 11º disco de uma trajetória que ela revisita em show na sexta-feira no Teatro Ademir Rosa (CIC), em Florianópolis.

De Caetano a Lupicínio Rodrigues, o álbum perpassa estilos e gerações musicais diferentes, além de composições inéditas. Seis músicos — Arthur Maia, Claudio Jorge, Dadi, Humberto Mirabelli, Ivan Machado e Zé Ricardo — se revezaram na produção das 14 faixas.

Em trabalhos anteriores, ela costumava dizer que os produtores tinham o papel de ajudar a cortar o excesso de ¿mart¿inalices¿. Dessa vez, com tantos nomes misturados, eles fizeram é exacerbar isso:

— As mart'inalices, né? É tudo que eu não consigo fazer sozinha. Eu disperso totalmente. Então a pessoa que produz dá uma conduzida. Mas agora não foi um produtor ou diretor do CD inteiro, como outras vezes com a Maria Bethânia, o Djavan, Caetano, meu pai. Foi uma mistura dos músicos que eu amo e que tem a pegada que eu gosto. Foi assim, uma junção de um pouco de todos eles e de mim — conta.

Show com os principais sucessos

Por telefone, Mart'nália comentou que há tempos não se apresentava em Florianópolis.

—Eu sei que tem uma cena de samba por aí, que é bacana, mas não conheço. Se já conheci uma roda por aí? Pois é, se fui não lembro mais — diz, rindo alto.

Muito embora ela já esteja apresentando o show do novo trabalho — a estreia foi no dia 7 de janeiro no Disco Vioador, no Rio —, o que a traz a Santa Catarina são as velhas canções.

— Vou apresentar um mix. Eu gosto mesmo é de me divertir com o público. Eu misturo quase todas as músicas de novela, as mais conhecidas como Chega, Cabide, Tava por aí e outras brincadeirinhas — adianta.

AGENDE-SE

O quê: show de Mart'nália
Quando: sexta-feira, às 21h
Onde: Teatro Ademir Rosa, no CIC (Av. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis
Quanto: R$ 140 / R$ 70 (meia), 1º lote. Sócios do Clube do Assinante têm 10% de desconto. À venda via Blueticket.

Leia também
Discurso afiado e ausência de hits marcam disco solo de Marcelo Yuka
Programação da semana em Florianópolis só tem showzão 

 
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros