Vacina contra a dengue deve ser liberada no Brasil em 2019 - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Imunização04/01/2017 | 10h52Atualizada em 04/01/2017 | 16h21

Vacina contra a dengue deve ser liberada no Brasil em 2019

Doses passam pela última fase de testes antes de ser submetida à aprovação da Anvisa

Vacina contra a dengue deve ser liberada no Brasil em 2019 Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Agência Brasil
Agência Brasil

A vacina contra a dengue, que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantã, poderá ser usada em larga escala em 2019. O produto passa agora por testes. Foram instalados centros em 13 cidades de cinco regiões do país visando imunizar voluntários e avaliar a eficácia do produto. Até o momento, já foram aplicadas doses em 4 mil pessoas, das 17 mil que deverão participar dos testes.

Essa é a última fase antes da vacina ser submetida à aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segundo o diretor Instituto Butantã, Jorge Kalil, é possível que a vacina chegue à população em 2019.

Leia mais:
Casos de chikungunya devem voltar a subir em 2017 
Vacina contra HPV começa a ser distribuída para meninos a partir deste ano

— Eu acho difícil que ela esteja disponível no ano que vem. Mas nós vamos trabalhar para que esteja. Talvez no verão 2019 esteja liberada. Agora, depende de muitas coisas — ressaltou.

Investimento

O governo de São Paulo assinou, na terça-feira, com o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) acordo para liberação de R$ 97,2 milhões para construção da fábrica de vacinas contra a dengue. O valor cobre 31% do custo total do projeto do Instituto Butantã, orçado em R$ 305,5 milhões.

Os recursos vão permitir a conclusão do novo prédio que terá capacidade de produzir até 30 milhões de doses por ano. O dinheiro, investido sem necessidade de retorno, possibilitará ainda a instalação de equipamentos, mobiliário e capacitação das equipes.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que vistoriou as obras durante a cerimônia de assinatura do acordo com o BNDES, disse que o prédio deverá estar pronto em 60 dias.

— Nós estamos fazendo o prédio enquanto a vacina está sendo testada na sua última fase. O teste vai dizer a eficácia para você produzi-la em escala visando atender o Brasil — disse.

A vacina deverá proteger contra os quatro tipos de vírus da dengue. De acordo com o secretário estadual de Saúde de São Paulo, David Uip, a expectativa é que o poder de imunização do produto ultrapasse os 80%.

— Tivemos um poder imunogênico da vacina muito bom e poucos efeitos adversos — comentou com base nos resultados observados nas duas fases iniciais do desenvolvimento da dose desenvolvida com vírus enfraquecidos geneticamente.

Nesta última fase de testes, dois terços dos voluntários serão imunizados e um terço receberá um placebo sem efeito. A partir daí, será observada a taxa de infecção no grupo que foi vacinado e no de controle, que recebeu a substância sem efeito.

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTemperatura pode atingir 29ºC nesta quinta-feira em SC https://t.co/CW3xGOVT0Hhá 49 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioUpiara Boschi: Assembleia Legislativa, mas pode chamar de País das Maravilhas https://t.co/JCj0iI8ygJhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros