Saiba quais são e como fugir das doenças comuns do frio  - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Saúde28/03/2017 | 11h43Atualizada em 29/03/2017 | 16h15

Saiba quais são e como fugir das doenças comuns do frio 

Asma, rinite e doença pulmonar obstrutiva crônica podem piorar nas estações mais frias

Saiba quais são e como fugir das doenças comuns do frio  Steve Knight/iStockphoto
Foto: Steve Knight / iStockphoto

Há uma semana, o outono começou oficialmente no Hemisfério Sul. Com ele, vem a promessa de dias mais agradáveis, com temperaturas mais baixas ao amanhecer e anoitecer. Mas além dos termômetros mais amenos, a nova estação traz uma série de doenças, especialmente relacionados ao sistema respiratório. 

Explicações para esse aumento não faltam: frio, tempo mais seco e menos chuva são algumas delas

Leia mais:
Vacinação contra gripe começa no dia 10 de abril no RS

— Quando é mais frio, nossa imunidade fica alterada. Com a falta de chuva, aumenta a poluição e, por fim, o ar mais seco irrita as mucosas das vias aéreas — explica o professor de pneumologia José Jardim, da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP.

Outro motivo para esses índices é o aumento das aglomerações. Com a queda das temperaturas, as pessoas ficam mais confinadas em ambientes fechados, onde as viroses se propagam com mais facilidade.

Muito comum neste período do ano é o aparecimento dos sintomas de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), desencadeada em 80% dos casos pelo cigarro e caracterizado por inflamação dos brônquios e destruição das paredes dos alvéolos, provocando tosse, catarro e falta de ar.

— No Sul, os pacientes com DPOC ficam mais tempo e com mais frequência no hospital. Atribuímos isso à temperatura — afirma Jardim. Evitar esta doença passa, diretamente, por não fumar ao longo da vida.

Além da DPOC, asma e rinite são outros problemas que também aparecem com o frio, embora sejam consideradas doenças "do ano todo". De acordo com Jardim, a melhor medida para prevenir as crises é antecipar o tratamento:

— Se a pessoa tem crises todos os invernos, é bom que fale com o médico para começar a usar corticoide inalatório.

Outras alternativas são evitar aglomerações, idosos devem fazer a vacina contra a gripe e manter as medidas de higiene básica como tossir tapando a boca com um lenço e lavar bem as mãos.

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCientistas conseguem novas evidências de água no interior da Lua https://t.co/L3UukQHKLHhá 30 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioEstudo da USP relaciona dor crônica a casos de ansiedade e depressão https://t.co/k5Pvsfbnanhá 39 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros