Documentário gravado na Colônia Penal de Palhoça é premiado nos Estados Unidos - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Cinema14/04/2017 | 14h01Atualizada em 14/04/2017 | 14h01

Documentário gravado na Colônia Penal de Palhoça é premiado nos Estados Unidos

"Zaratustra ainda fala", do catarinense Luiz Fernando F. Machado, foi reconhecido como melhor documentário de relacionamento humano na segunda edição do Star Doc, realizado no começo de abril em Los Angeles

Documentário gravado na Colônia Penal de Palhoça é premiado nos Estados Unidos Paulo Henrique de Abreu/Divulgação
Foto: Paulo Henrique de Abreu / Divulgação
Diário Catarinense
Diário Catarinense

Depois da estreia no ano passado, o documentário Zaratustra ainda fala, do catarinense Luiz Fernando F. Machado, segue para grandes festivais de cinema ao redor do mundo e já colhendo frutos. No começo de abril, o docudrama gravado por presos na Colônia Penal de Palhoça ganhou o prêmio de Best Human Relationship Documentary (melhor documentário de relacionamento humano, em tradução livre) na segunda edição do Star Doc Interntional Documentary, em Los Angeles.

Em dezembro do ano passado, o doc levou prêmios de Melhor Filme e Melhor Diretor na primeira edição do Budafest Film Festival. Em 2017, o diretor segue na expectativa quanto à participação em festivais como o Festival Internacional de Nice, no Sul da França, e Krafta Doc International - Art Making Film Festival, na Inglaterra, dos quais é finalista. Ele também está na seleção do Festival Internacional de Cinema de Pipa, no Brasil; e do International Filmmaker Festival of World Cinema, em Londres.

Assista ao trailer:

Gravado em 10 horas corridas na penitenciária agrícola de Palhoça, a obra é o primeiro longa-metragem filmado dentro do sistema prisional catarinense. Foi fundamentado por fragmentos do livro Assim Falou Zaratustra, de Friedrich Nietzsche (1844 - 1900), e apresenta 12 detentos entrevistados em suas celas. A equipe técnica foi formada por detentos e profissionais do cinema que participaram de oficinas cinematográficas laborais ministradas por Luiz Fernando.

Graduado em Cinema pela Unisul, Luiz Fernando nasceu em Urussanga e tem carreira marcada pelo engajamento social. É produtor audiovisual da Central Única das Favelas (Cufa/Laguna), diretor executivo da Companhia Boanova de Cinema Regional e empreendedor da Estética da Sopa de Pedra, forma de produção cinematográfica comunitária por meio de oficinas laborais de integração popular.

Foto: Paulo Henrique de Abreu / Divulgação

Leia também

Documentário sobre o sistema prisional brasileiro entra em cartaz em SC
"Nem a censura entendia o que éramos ou o que dizíamos" - Leia entrevista com os Novos Baianos

s

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMarquinhos espera desfecho no fim de ano para saber se fica no Figueirense https://t.co/9m8qKDwMdVhá 3 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioInvestidores do Figueirense dizem que vão processar Alex Bourgeois, ex-CEO https://t.co/nBuqVynGoXhá 6 horas Retweet
O Sol Diário
Busca