O Grande Encontro: "Mostramos uma fatia poderosa da nossa cultura", diz Elba Ramalho  - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Baião de três28/04/2017 | 05h00Atualizada em 28/04/2017 | 05h00

O Grande Encontro: "Mostramos uma fatia poderosa da nossa cultura", diz Elba Ramalho 

Show que reúne os artistas nordestinos Alceu Valença, Elba Ramalho e Geraldo Azevedo passa por Itajaí e Florianópolis neste feriado 

O Grande Encontro: "Mostramos uma fatia poderosa da nossa cultura", diz Elba Ramalho  livio campos/Divulgação
Foto: livio campos / Divulgação

Em 1995, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho viajavam o Brasil com um show. Um dia, quando se apresentavam no Canecão, no Rio de Janeiro, convidaram Elba Ramalho e Alceu Valença, que estavam na plateia, para uma canja. O público amou e assim nasceu O Grande Encontro, espetáculo que resultou em quatro álbuns e já foi assistido por mais de dois milhões de espectadores pelo país. 20 anos depois, três dos quatro integrantes originais - Alceu, Elba e Geraldo desembarcam em Santa Catarina para uma turnê comemorativa. Os shows ocorrem no sábado (29), em Itajaí, e na segunda-feira (1º), em Florianópolis. O show de Joinville, que seria nesta sexta-feira, foi adiado devido à greve geral e deve ocorrer em setembro.

Na Capital, o show encerra o festival Jurerê Jazz. Mas de jazz o repertório não tem nada - é recheado de brasilidades e clássicas canções embaladas pelos ritmos tradicionais do Nordeste como baião, forró, frevo e xote. Como bem definiu Alceu Valença em entrevista por e-mail, é uma "reunião de artistas da mesma geração que possuem em comum uma devoção pelas coisas do Nordeste e do Brasil". 

— Há modificações em relação ao repertório original. Eu, por exemplo, incluí músicas novas, como Flor de Tangerina, que canto com Elba, e Ciranda da Traição, que cantamos os três. Tem Me Dá Um Beijo, música do meu primeiro disco (em dupla com Geraldo), de 1972, que cantamos em trio. Cantamos juntos AnunciaçãoCaravanaFrevo Mulher — explica Alceu.

De Geraldo Azevedo, há uma composição inédita, Só depois de muito amor eu vou embora, escrita em parceria minha com Abel Silva (o poeta que coincidentemente tem o mesmo nome do produtor do Jurerê Jazz, mas não confunda!). Outra mudança em relação ao show original é que ele possuía um formato acústico. Desta vez, o novo espetáculo incorpora uma sonoridade elétrica.

— Somos artistas versáteis, conseguimos expressar nossa arte com diversos tipos de formação. A atual versão do Grande Encontro precisava de um diferencial em relação ao show de 20 anos atrás e decidimos eletrificar a sonoridade. Mas há momentos acústicos também, como La Belle de Jour, acompanhado pelo meu violão e o de Paulo Rafael — diz Alceu.

— Mas a base, que são as canções que construímos ao longo destes anos, está inteira lá. CaravanaAnunciaçãoDona da Minha Cabeça.  É emocionante ver a reação do público quando Elba canta um Chão de Giz, quando Alceu interpreta La Belle de Jour, por exemplo. São clássicos contemporâneos. No show de São Paulo, durante a gravação do DVD, houve uma reação muito intensa da plateia quando cantei Dia Branco. Foi uma coisa apoteótica, de arrepiar — conta Geraldo. 

"Eu já escuto os teus sinais": entre no clima:

Uma coincidência curiosa: Zé Ramalho, que estava presente no álbum original, também está em turnê por SC neste fim de semana - ele se apresenta na sexta-feira, no Maria¿s em Camboriú, e no sábado, no Centro de Eventos Petry, em Biguaçu.

— Eu e Geraldo Azevedo desde o ano passado já estávamos fazendo alguns shows juntos. Já havia o desejo de comemorar os 20 anos do projeto, então houve uma adaptação do nosso projeto para o Grande Encontro. Podemos dizer que também crescemos ao longo do tempo. Aprendemos uns com os outros e mostramos uma fatia poderosa da nossa cultura. É uma alegria dividir o palco com estes homens maravilhosos, mestres da canção brasileira. Felizmente, Alceu foi muito receptivo e aceitou na hora. Já o Zé Ramalho, acabou declinando do convite em função dos projetos pessoais que já está realizando, mas ele se faz presente por meio de suas composições. Eu canto Chão de Giz e todos juntos cantamos Frevo Mulher — diz Elba Ramalho.

Agende-se
O Grande Encontro
Quando
: sábado (29), em Itajaí, e segunda-feira (1/5), em Florianópolis
Onde: em Itajaí, no Centreventos Itajaí (Av. Ministro Victor Konder, 303, Beira Rio,  Centro) e em Florianópolis, no P12 (Servidão José Cardoso de Oliveira, s/nº, Jurerê Internacional)
Quanto: a partir de R$ 40 em Itajaí, via Blueticket. Desconto de 20% para sócio e acompanhante do Clube do Assinante na compra do ingresso antecipado pelo site. Para o show de Florianópolis, os ingressos estão disponíveis a partir de R$ 80 no Ingresso Rápido. Sócio e acompanhante também têm direito ao desconto no show na Capital, na compra do ingresso antecipado na loja Ingresso Rápido no Beiramar Shopping

Leia mais:

Show O Grande Encontro tem apresentação adiada em Joinville

Jurerê Jazz tem parcerias inéditas, talentos catarinenses e atrações gratuitas

Carlos Schroeder: Garopaba terá festival literário em junho 

também têm direito ao desconto no show na Capital, na compra do ingresso antecipado na loja Ingresso Rápido no Beiramar Shopping

Leia mais:

Show O Grande Encontro tem apresentação adiada em Joinville

Jurerê Jazz tem parcerias inéditas, talentos catarinenses e atrações gratuitas

Carlos Schroeder: Garopaba terá festival literário em junho 

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioConfira as mudanças no trânsito em Florianópolis neste domingo para o Ironman https://t.co/kSRGmrGCF5há 2 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioEmocionante: espetáculo "Convite ao Olhar", da Cia Lápis de Seda, fecha o festival Múltipla Dança https://t.co/1dvDUUo9WRhá 4 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros