Sobrepeso na gravidez está associado a maior risco de epilepsia, revela estudo - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Pesquisa04/04/2017 | 10h01Atualizada em 04/04/2017 | 10h01

Sobrepeso na gravidez está associado a maior risco de epilepsia, revela estudo

Obesas tiveram risco de ter filho com epilepsia aumentado em 20%

Sobrepeso na gravidez está associado a maior risco de epilepsia, revela estudo Arte ZH/Arte ZH
Foto: Arte ZH / Arte ZH
AFP
AFP

A obesidade e o sobrepeso durante o primeiro trimestre de gravidez estão associados a um maior risco de ter uma criança com epilepsia, disseram pesquisadores nesta segunda-feira. O estudo foi baseado em dados de 1,4 milhão de crianças na Suécia, e foi publicado na revista Journal of the American Medical Association (JAMA) Neurology.

O aumento do risco de epilepsia em uma criança é proporcional a quão acima do peso a mãe estava no início da gravidez, segundo a pesquisa liderada por Neda Razaz, do Instituto Karolinska em Estocolmo, na Suécia.

Leia mais:
Cirurgia bariátrica pode gerar problemas severos em pacientes 
Entenda por que nem todo magro é saudável e nem todo gordo está doente

"O risco de epilepsia aumentou 11% em crianças de mães com excesso de peso" cujo índice de massa corporal (IMC) estava entre 25 e 30, disse o estudo, que constatou que, das 1,4 milhão de crianças nascidas entre 1997 e 2011 na Suécia, 0,5% (7.592 crianças) foram diagnosticadas com epilepsia até 2012. O IMC é calculado dividindo o peso (em quilogramas) pela altura (em centímetros) elevada ao quadrado. As pessoas que têm essa taxa entre 18,5 e 24,9 são consideradas dentro do peso ideal.

Mulheres que eram obesas, com um IMC de 30 a 35, tiveram um aumento de 20% no risco de ter um filho com epilepsia em comparação às mães com o peso normal.Para as mulheres com um IMC de 35 a 40 o risco aumentou 30%, e para as grávidas com obesidade mórbida o risco era 82% mais elevado do que o das mães que estavam dentro do peso recomendado.

O estudo, baseado em questionários, não se aprofundou nas causas do risco aparentemente mais alto de epilepsia, que podem incluir fatores genéticos e ambientais. Os pesquisadores acreditam que o excesso de peso ou a obesidade durante a gravidez podem levar a um maior risco de lesão cerebral em bebês, ou que a inflamação induzida por obesidade pode afetar o neurodesenvolvimento.

"Visto que o sobrepeso e a obesidade são fatores de risco potencialmente modificáveis, a prevenção da obesidade em mulheres em idade reprodutiva pode ser uma importante estratégia de saúde pública para reduzir a incidência de epilepsia", disse o estudo.

Uma pesquisa feita na Dinamarca e publicada no ano passado pela Academia Americana de Pediatria descobriu que quando as mulheres tinham um IMC mais alto antes de engravidar, os seus filhos enfrentavam um maior risco de paralisia cerebral.

 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCorreios afirmam que greve não afeta maioria dos serviços https://t.co/FmgHnIaJszhá 20 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioAvaí afia o ataque para primeiro duelo contra a Chapecoense https://t.co/MJGIuYaOqehá 35 minutosRetweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros