Após anos de espera, telhado revitalizado da Fundação Cultural de Blumenau é entregue - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Preservação25/07/2017 | 07h20Atualizada em 25/07/2017 | 07h20

Após anos de espera, telhado revitalizado da Fundação Cultural de Blumenau é entregue

O principal benefício, como ressalta o presidente da FCBlu, Rodrigo Ramos, é que vai parar de chover dentro do imóvel

Após anos de espera, telhado revitalizado da Fundação Cultural de Blumenau é entregue Patrick Rodrigues/Agencia RBS
Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

É sabido que o coração blumenauense — por nascimento ou opção — palpita no começo da XV de Novembro, que só por alguns metros não dá música quando cruza com a Rua das Palmeiras, tal e qual ocorre com o famoso cruzamento da capital paulista cantado por Caetano. Quem não se encanta com o casarão imponente, de cor incomum, que avisa ao visitante que estas são terras bem cuidadas? Pois quem passar pelo prédio da Fundação Cultural de Blumenau (FCBlu) a partir desta terça-feira terá motivos para se encantar ainda mais, já que será entregue durante a manhã o telhado restaurado e a fachada revitalizada para o bom uso da comunidade, principalmente a cultural.

Construído em 1875 para ser o primeiro centro administrativo da cidade e tirar as reuniões de trabalho da sala do Dr. Hermann Blumenau, o prédio é apenas 25 anos mais novo que a própria cidade. Desde então passou por uma série de intervenções e ampliações e ganhou a estrutura arquitetônica que tem hoje em 1939, por designação do então prefeito José Ferreira da Silva. Pegou fogo em 1958 e a parte danificada só foi reconstruída em 2000, mas a obra da época deixou problemas que se arrastaram por mais de uma década e deterioraram o espaço. O restauro da estrutura já se fazia inevitável.

:: Leia mais notícias de Blumenau e região em santa.com.br

A obra entregue nesta terça-feira corrige, justamente, estas falhas. O principal benefício, como ressalta o presidente da FCBlu, Rodrigo Ramos, é que vai parar de chover dentro do imóvel:

— O prédio estava inclusive com problema de infiltração na parte estrutural. Foi usado até não poder mais e eu preciso dar o crédito ao Sylvio (Zimmermann, ex-presidente e atual vereador pelo PSDB) porque ele foi atrás desse recurso.

Apesar de ser tombado pelo patrimônio histórico estadual, a obra foi executada com recursos do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e contrapartida do município. Em valores atualizados, foram investidos aproximadamente R$ 547,8 mil na restauração do telhado.

Pintura revitalizada

Não foram apenas as telhas que passaram por recuperação. Segundo Ramos, as que estavam danificadas foram trocadas, e as que estão em bom estado foram higienizadas e recolocadas, pois como o prédio é tombado pelo patrimônio estadual a obra deve ter o mínimo de intervenção e conservar as características originais. Além disso, foi colocada uma manta impermeabilizante (para dar fim às goteiras) que ajuda a reduzir o calor na parte interna e a estrutura de madeira do telhado e do prédio foram revisadas.

Também foi feita a recuperação do piso da galeria, que é centenário, e a ampliação da área de exposições, em celebração aos 40 anos do espaço. Na área externa a fachada foi revitalizada, com limpeza e pintura, e até o fim do ano deve receber nova iluminação para valorizar as formas da construção.

Planos para o futuro

Com a recuperação do telhado concluída, outras áreas do prédio vão receber mais atenção. A prioridade agora, segundo Ramos, é o auditório Carlos Jardim, além de outras áreas do entorno da FCBlu:

— Em agosto vamos voltar para o Horto (nos fundos da fundação) e começar a remontar os canteiros, buscando através de fotos dar uma característica da época que ele foi construído pela família Gaertner. Também a partir de agosto vamos começar a mexer nos museus, já que em novembro faz 50 anos que temos o Museu da Família Colonial.

Os R$ 547,8 mil usados na reforma foram custeados pelo Iphan com contrapartida do município Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

Longo caminho

A restauração do telhado da Fundação Cultural de Blumenau foi uma busca que começou anos atrás. O trabalho se intensificou quando Sylvio Zimmermann, hoje vereador, assumiu o comando do órgão e encarou a obra como a principal demanda de sua gestão. O trabalho iniciado em 2013 foi concluído agora e é entregue a Blumenau na Semana da Imigração Alemã. A partir deste ano o prédio também passa a ser a sede do governo municipal todos os anos no dia 25 de julho.

2012
Novembro
: projeto de revitalização do telhado é rejeitado pelo Ministério da Cultura (MinC).

2013
Janeiro
: FCBlu encaminha novamente a proposta para análise do MinC.
Fevereiro: proposta de restauração do telhado é selecionada pelo Fundo Nacional de Cultura e oficializada com publicação no Diário Oficial da União.

2014
Fevereiro
: após vencer uma série de etapas burocráticas e receber o recurso para começar a obra, a FCBlu dá a largada ao processo licitatório para a obra.
Abril: FCBlu inicia as tratativas com a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) para fazer a obra em patrimônio tombado.
Junho: A FCC rejeita a proposta de reforma por considerar que o telhado estaria em bom estado e pede alterações no projeto. Com isso, uma nova licitação precisa ser feita para a obra.

2015
Janeiro
: FCBlu assina contrato para a elaboração de um novo projeto para as obras, aprovado pela FCC em dezembro do mesmo ano.

2016
Junho
: A nova licitação para a obra é lançada.
Agosto: assinatura do contrato e início das obras.

Fontes: Rodrigo Ramos, Sylvio Zimmermann e arquivo do Jornal de Santa Catarina.

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJogadores do Avaí aplaudem Kozlinski, que é abraçado por Douglas no vestiário https://t.co/kLUNE32gDmhá 36 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJudson destaca pegada do Avaí e quer de novo a "força da arquibancada"  https://t.co/JqjrVVa1pUhá 1 horaRetweet
O Sol Diário
Busca