Saiba como cuidar da pele dos bebês durante o inverno - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Em família15/07/2017 | 10h00Atualizada em 15/07/2017 | 10h00

Saiba como cuidar da pele dos bebês durante o inverno

Banhos e passeio na rua devem receber cuidados especiais

Saiba como cuidar da pele dos bebês durante o inverno Stock Photo/Divulgação
Foto: Stock Photo / Divulgação

Durante o inverno, até a famosa "pele de bebê" precisa de cuidados para permanecer lisinha, macia e sedosa. Evitar rachaduras e ressecamento permite que o órgão exerça suas funções: ajudar a regular a temperatura do corpo e atuar como barreira contra infecções. Veja dicas para ajudar a prevenir problemas durante os dias mais frios.

No banho
Uma forma de cuidar da pele do bebê é planejar o banho. Conforme a dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia Flávia Pereira Reginatto, manter o ambiente entre 23°C e 26°C ajuda a evitar que a temperatura corporal da criança baixe.

Leia mais:
Seu filho faz xixi na cama? Saiba o que fazer 

— Também é interessante deixar à mão tudo o que será utilizado. Devemos ter muito cuidado com a água, que não pode estar muito quente, pelo risco de queimadura. Uma dica é testar a temperatura com o dorso da mão do adulto, onde a pele é mais sensível — aconselha Flávia.

Deve-se também evitar banhos demorados e com muita espuma, além de dar preferência a sabonetes líquidos que têm um pH mais próximo ao da pele. Segundo Flávia, eles têm menos risco de causar ressecamento.

— Buchas e esponjas devem ser evitadas. É preciso remover todo o sabonete e o shampoo da pele e do couro cabeludo do bebê. Ao secar, é preferível usar toalhas de algodão. Nem toda criança precisa usar creme hidratante depois, e o uso deve ser orientado pelo pediatra ou dermatologista — explica a dermatologista. Outra dica é separar as roupas com antecedência, vestir a criança ainda no banheiro ou em um local próximo, com a temperatura também aquecida.

Hidratação
Nos dias de temperatura mais baixa, o ar frio pode acabar ressecando a pele dos pequenos. Segundo a pediatra do Hospital Moinhos de Vento Rejane Fialho Matias Lopes, hidratantes com pH neutro e sem muitos produtos químicos são melhores para evitar alergias.

— Geralmente, a hidratação deve ser feita após o banho. Existem produtos específicos para os recém-nascidos e os maiores. O ideal é procurar o especialista para avaliar a necessidade e o tipo adequado — afirma.

Escolha das roupas
Conforme a dermatologista Flávia Reginatto, o ideal é usar roupas de tecido macio, sem etiquetas ou botões que possam machucar:

— É preciso prestar atenção nas camadas de roupa na hora de vestir o bebê. A primeira peça, que fica em contato com a pele, deve ser macia e de algodão. Por cima, um macacão ou conjunto de calça e blusão mais quentes. Casacos de lã, cobertores ou mantas leves são boas opções porque aquecem sem dificultar o manuseio da criança, que precisa estar confortável.

Segundo a dermatologista, se as bochechas da criança estiverem muito avermelhadas, com bolinhas vermelhas ou de suor, deve-se retirar uma camada de roupa e verificar a situação novamente após meia hora.

— Recomenda-se vestir o bebê com uma peça a mais do que os adultos estão usando. Também é importante aquecer as mãos, os pés e a cabeça, que perdem bastante calor. Acostumar a criança a usar uma toca leve também ajuda — explica Flávia.

Ao lavar as roupas
Para higienizar corretamente as roupas do bebê, o ideal é utilizar produtos com o menor número de substâncias químicas possível. Boas opções são o sabão líquido de glicerina e o de coco, que podem ser usados na máquina de lavar. De acordo com Flávia, é preciso evitar o uso de amaciantes:

— Em comparação à pele do adulto, a do bebê, por ser um pouco mais fina e com sistema imune ainda em formação, é mais propensa a desenvolver algumas patologias como as infecções cutâneas, tanto as causadas por fungos e vírus quanto por bactérias. Também há maior risco de sensibilização ou intoxicação por substâncias que entrarem em contato com a pele, pois a absorção de qualquer produto é maior nas crianças.

Na troca de fraldas
Rejane alerta que a troca de fraldas durante o frio requer atenção dos pais:

— Ela deve ser trocada continuamente, mesmo que esteja só com xixi. A pele e a fralda vão ficar mais abafadas, mesmo nos dias frios, o que pode provocar dermatite fúngica ou de contato. Não use muito lenços umedecidos. Produtos com menos componentes químicos, como algodão e gaze com água morna, são mais indicados.

Hora de dormir
Flávia afirma que o ideal é aquecer o ambiente antes de levar o bebê para o quarto e, depois, manter o aparelho, seja ar condicionado ou estufa, desligado durante o sono. A temperatura indicada é entre 23°C e 26°C.

— Preparar o bebê para dormir deve ser um ritual: ele deve estar confortável, em um ambiente calmo, aquecido e seguro. Ele também deve estar bem agasalhado, pois tende a se descobrir durante a noite. Não é indicado utilizar protetores de berço, lençol térmico ou acessórios em exagero. Se a criança suar ou molhar a roupinha com xixi, precisa ser trocada — diz a dermatologista.

Na rua
Ao sair de casa com a criança, algumas dicas podem ser observadas. Rejane explica que, mesmo no inverno, o uso do protetor solar deve permanecer:

— É preciso utilizar o filtro apropriado para cada idade. É importante porque ele forma uma barreira contra os raios solares VA e VB, presentes mesmo nos dias frios. Também pode-se usar protetor labial para evitar rachaduras. Além do protetor, outro produto que hidrata e pode ser encontrado facilmente em farmácias é o óleo de amêndoas.

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioUdesc inaugura campus em Balneário Camboriú https://t.co/e7vH6Sj6hVhá 4 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFilho de Romário, atacante assina contrato com o Figueirense https://t.co/99xCnfTqKAhá 6 horas Retweet
O Sol Diário
Busca