Curada do câncer, criadora do Careca TV traça planos: "Vou ser youtuber e médica" - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Nova fase10/08/2017 | 10h58Atualizada em 10/08/2017 | 12h39

Curada do câncer, criadora do Careca TV traça planos: "Vou ser youtuber e médica"

Lorena, de 13 anos, criou canal para mostrar o dia a dia do tratamento

Curada do câncer, criadora do Careca TV traça planos: "Vou ser youtuber e médica" YouTube/Reprodução
Passado o tratamento, Lorena exibe o novo visual, com os cabelos crescendo Foto: YouTube / Reprodução

Depois de encarar duas cirurgias, 48 sessões de quimioterapia e 34 de radioterapia, Lorena Reginato, 13 anos, finalmente recebeu, no começo de 2017, o diagnóstico que tanto esperava: estava curada de um tumor no cérebro. A estudante de Jaú, em São Paulo, ficou conhecida no Brasil e no mundo pelo canal que criou no YouTube, o Careca TV, feito para narrar como é o dia a dia de um tratamento contra o câncer. Dois anos após esse processo todo, ela tem novas ideias para o espaço e já planeja estudar Medicina.

— Agora, quero ser médica, mas já quis ser cantora, bióloga...— enumera.

Leia mais:
Livre da quimioterapia, menina do "Careca TV" dá os primeiros passos sozinha

Cursar Medicina faz parte do sonho de ajudar outras pessoas. Mas, e a carreira na plataforma digital?

— Vou ser youtuber e médica — rebate.

Aluna do nono ano do Ensino Fundamental, Lorena divide seu tempo entre as aulas na escola e as atividades de reabilitação, que incluem natação, terapia ocupacional e fonoaudiologia. Nesse meio tempo, claro, dá seguimento ao projeto criado há um ano e que, hoje, conta com mais de 1,8 milhão de inscritos no YouTube. As novidades incluem quadros inéditos, muita interatividade e a participação do youtuber Átila Balogh.

— Pretendo melhorar a câmera e o conteúdo — garante.

Além do YouTube, ela faz transmissões ao vivo diárias pelo Facebook. Os ¿lives¿ já bateram as 12 mil visualizações.

O canal

Do sonho de ter um canal bem-sucedido à fama em si não demorou muito. Usando o celular da mãe, Fiorella Reginato, para ler um texto escrito pela irmã mais velha, Larissa, a menina gravou uma breve apresentação. "Eu sou careca porque tive câncer, mas não tenho mais. Por conta da cirurgia, fiquei com a voz fina e falo um pouco lento, mas não liguem, tá?", justificou de cara no vídeo que conta com mais de 4,1 milhões de visualizações. Daí para a chuva de ligações e mensagens foi um pulo:

— No outro dia, meu celular não parava de tocar — diz Fiorella relembrando o assédio da imprensa.

Visual com gorros de bichinhos virou a marca da menina Foto: YouTube / Reprodução

— Eu nem conhecia o YouTube, sou da época do papel de almaço — completa a mãe.

O "susto" inicial veio acompanhado de muitas surpresas. Do Google partiu um convite para Lorena participar de um workshop de orientação sobre o site. Como estava debilitada, coube a Larissa participar e incrementar o canal.

Sempre com incentivo da mãe, Lorena gravava desde brincadeiras com amigos até os momentos mais difíceis, como as sessões de quimioterapia. As filmagens funcionaram como uma distração para superar a rotina de tratamento:

— O mais difícil foi me apegar aos amigos e alguns morreram — relata a menina.

A cura, comemorada com churrasco em casa, só aumenta os desafios: Lorena quer atingir 2,5 milhões de inscritos no canal além, claro, de se recuperar completamente.

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioPreparação física do Avaí é um dos segredos que explicam a reação no Campeonato Brasileiro https://t.co/RSSi0eS8zbhá 30 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMotorista de Camaro que atropelou três nos Ingleses depõe nesta sexta-feira em Florianópolis https://t.co/sIHhrTWxaDhá 14 horas Retweet

Mais sobre

O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros