Palco Giratório terá espetáculos de teatro, dança e performances em Florianópolis durante todo mês - Diversão & Estilo - O Sol Diário

Tudo de graça01/08/2017 | 03h00Atualizada em 01/08/2017 | 03h00

Palco Giratório terá espetáculos de teatro, dança e performances em Florianópolis durante todo mês

Principal festival de artes cênicas em 2017 na Capital, Palco Giratório começa terça-feira, dia 1º, com peça Os Mequetrefe, do grupo Parlapatões

Palco Giratório terá espetáculos de teatro, dança e performances em Florianópolis durante todo mês Luiz Doroneto/Divulgação
Peça "Os Mequetrefe", da Parlapatões (SP), abre o Palco Giratório nesta terça-feira Foto: Luiz Doroneto / Divulgação

Considerado um dos circuitos de artes cênicas mais importantes do Brasil, o Palco Giratório é também um dos únicos festivais de teatro remanescentes em Florianópolis em 2017 — que pelo segundo ano consecutivo não terá o Festival Isnard Azevedo. A abertura, hoje, será com Os Mequetrefe, do grupo Parlapatões (SP), no Teatro Ademir Rosa (CIC). Até o dia 31, serão apresentados 27 espetáculos de teatro adulto e infantil, teatro de rua, dança, circo, performances e intervenções urbanas de grupos prestigiados em todo o país. A programação é toda gratuita e ocorre em diferentes palcos — inclusive a rua — da cidade.

A arte do circo e as performances e intervenções urbanas são os destaques desta edição do circuito, que completa 20 anos de existência no Brasil e 14 anos em Florianópolis.

— A importância das performances e intervenções é algo que os curadores do festival vêm discutindo. Fomos buscar mais sobre isso e conseguimos trazer mais opções para serem avaliadas — diz a gerente da Cultura do Sesc em Santa Catarina, Maria Teresa Piccoli.

Uma das intervenções é Dilúvio MA, do grupo ECOPOÉTICA (RS). Os performers estarão dentro de uma rede cheia de lixo, balançando durante algumas horas sobre espaços da cidade carentes de cuidado e atenção.

Performance "Dilúvio MA",  com ECOPOÉTICA (RS), ocorre dia 11 Foto: Gabriel Dienstmann / Divulgação

Outro espetáculo em destaque é a dança-instalação DNA de DAN, de Maikon K (PR) — a dança, aliás, vem ganhando cada vez mais espaço no Palco Giratório.  O espetáculo com nu artístico é o mesmo que culminou na prisão do artista pela Polícia Militar em Brasília no mês passado. A repercussão negativa do episódio fez o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, pedir desculpas públicas. Na montagem, o artista aplica substância seca sobre o corpo, dentro de uma bolha inflável, onde o público pode entrar e permanecer. Como uma cobra, faz um rito de passagem por várias formas do corpo. A apresentação será no dia 8, no Centro de Artes da Udesc. A escolha do local foi feita antes do episódio na Capital Federal e aprovada pelo artista. O Sesc esclarece que não tem a ver com uma necessidade de velar o espetáculo.

A metáfora da cobra na obra "DNA de DAN",  com Maikon K, agendado para dia 8 de agosto  Foto: Lauro Borges / Divulgação

— Este ano, a curadoria do festival conseguiu um diálogo direto com nosso momento. Tem histórias mais reais e políticas, que refletem o Brasil atual. E tem enfoque grande no corpo, o nu como presença política — opina a atriz Lara Matos, da cia catarinense Experiência Subterrânea. O grupo de Florianópolis estreia no festival com a montagem Women¿s.

Peça "Women's", da cia catarinense Experiência Subterrânea, em cartaz dia 16 Foto: Andrei Carreira / Divulgação

A arte do circo

Em 2017, o Palco Giratório também abre espaço para a arte do circo e a primeira semana tem programação voltada a essa linguagem. Entre os destaques, está o intercâmbio entre os paulistas da trupe Parlapatães com os manezinhos do grupo Dalecirco.

Espetáculo "Evocando os mortos ¿ Poéticas da experiência", da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (RS), será apresentado dia 30 de agosto Foto: Rafael S / Divulgação

E para celebrar os 20 anos, o festival homenageia aos gaúchos da Tribo de Atuadores Oi Nóis Aqui Traveiz, que estreia Caliban – A Tempestade de Augusto Boal no encerramento, no dia 31, na Praça Tancredo Neves, no Centro. A montagem é em comemoração aos 39 anos do coletivo, um dos mais relevantes do país. 

A programação inclui, além das apresentações, oficinas, aulas e seminário.

"Nuestra Senhora de Las Nuvens", com Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare (RN), em cartaz dia 23 de agosto Foto: Rafael Telles / Divulgação

AGENDE-SE

O quê: abertura do Palco Giratório 2017: Os Mequetre, do grupo Parlapatões
Quando: hoje, às 20h
Onde: Teatro Ademir Rosa, no CIC (Av. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis)
Quanto: gratuito
Programação completa no site do Palco Giratório


"Ruína de Anjos",  com A Outra Companhia de Teatro (BA), em cartaz dia 29 Foto: Andrea Magnoni / Divulgação

Leia também
Biblioteca Dr. Fritz Müller completa 65 anos em Blumenau
Veja os memes do esperado encontro que ocorreu no episódio de GOT

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFigueirense tem pior defesa da Série B, e goleiro justifica: "Ansiedade" https://t.co/vgUEGBPaeMhá 8 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCom árbitro de vídeo, Avaí poderia ter dois pontos mais e Chape ido mais longe na Copa do Brasil https://t.co/5KkVYCOTOThá 10 horas Retweet
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros