Prefeitura de Itajaí vai abrir sindicância para apurar esquema de corrupção revelado pela Parada Obrigatória - Economia - O Sol Diário
 
 

Reflexo da operação10/08/2015 | 20h48

Prefeitura de Itajaí vai abrir sindicância para apurar esquema de corrupção revelado pela Parada Obrigatória

Prefeito Jandir Bellini já teria solicitado abertura de procedimento à Procuradoria-Geral do município

Prefeitura de Itajaí vai abrir sindicância para apurar esquema de corrupção revelado pela Parada Obrigatória Prefeitura de Itajaí/Divulgação
Procedimento deve ser instaurado nos próximos dias Foto: Prefeitura de Itajaí / Divulgação

A prefeitura de Itajaí vai instaurar sindicância para apurar o suposto esquema de pagamento de propinas envolvendo a Codetran, o pátio de veículos do município e o setor de alvarás do Executivo, que vieram à tona no inquérito da operação Parada Obrigatória. No documento, dois dos sete indiciados são servidores públicos.

Leia mais
::: MP decide se apresenta denúncia em duas semanas
::: O esquema que envolveria a imprensa de Itajaí
::: Vereador preso ajudaria motoristas a anular multas e liberar carros apreendidos
::: Influência de Zé Ferreira se estenderia além da Codetran
::: Inquérito revela suposto furto de 715 motos e metas de apreensões de veículos em Itajaí

A informação é do procurador-geral do município, Rogério Ribas. Segundo ele, o prefeito Jandir Bellini já solicitou a abertura do procedimento ao seu gabinete. O que deve ocorrer nos próximos dias.

O inquérito de 600 páginas entregue pelo delegado do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas), Daniel Garcia, à 1ª Vara Criminal de Itajaí, apresenta entre os indiciados o consultor técnico da Codetran William Gervasi _ que foi coordenador do órgão_ e o ex-secretário de Administração, Nelson Abrão de Souza, que ocupa cargo efetivo na prefeitura.

Segundo as investigações, Gervasi cometeu o crime de corrupção passiva ao exigir vantagens em relação aos veículos apreendidos que iam para o pátio. Já Abrão de Souza teria cometido peculato, de acordo com o Gaeco, pelo fato de a prefeitura ter deixado de arrecadar por dois anos a taxa de 17% sobre o faturamento das saídas de veículos recolhidos enquanto ele estava a frente da pasta de Administração.

O SOL DIÁRIO

Notícias Relacionadas

Processo 07/08/2015 | 21h07

Parada Obrigatória: MP decide se apresenta denúncia em duas semanas

Como se trata de uma investigação considerada complexa, o promotor ainda está tomando conhecimento dos fatos

Operação Parada Obrigatória 07/08/2015 | 20h58

PM de Itajaí tenta evitar transferência de Zé Ferreira para batalhão

Documento foi entregue nesta sexta-feira à tarde na 1ª Vara Criminal

Política 07/08/2015 | 07h07

Vereador preso ajudaria motoristas a anular multas e liberar carros apreendidos

Ligações revelam pedidos de favores de empresários, funcionários públicos, comerciantes e cidadãos comuns a Zé Ferreira

Parada obrigatória 06/08/2015 | 07h21

Influência de Zé Ferreira se estenderia além da Codetran

Vereador teria agilizado alvarás para evento mediante suposto pagamento de propina

Parada obrigatória 06/08/2015 | 07h11

Inquérito revela suposto furto de 715 motos e metas de apreensões de veículos em Itajaí

Documento de 600 páginas entregue à Justiça detalha como o vereador Zé Ferreira teria liderado esquema de corrupção ligado ao Codetran de Itajaí

O Sol Diário
Busca