Claudio Loetz, sobre 2016: "Luz no fim da escuridão? Sempre há. Precisaremos de paciência, determinação e disciplina" - Economia - O Sol Diário

Livre Mercado25/12/2015 | 19h12Atualizada em 26/12/2015 | 08h32

Claudio Loetz, sobre 2016: "Luz no fim da escuridão? Sempre há. Precisaremos de paciência, determinação e disciplina"

Colunista faz análise sobre o que esperar da economia no ano que vem

Claudio Loetz, sobre 2016: "Luz no fim da escuridão? Sempre há. Precisaremos de paciência, determinação e disciplina" Cris M/RBS
Foto: Cris M / RBS

Quem vê a mensagem acima pode até acreditar que houve condusão, afinal, estamos ingressando em 2016. Explico: Antecipar o futuro é coisa para vidente iluminado. Não me aventuro a predizer os fatos. Seria leviano, irresponsável, mesmo. Até porque, no mínimo, em razão da obrigação de trazer informações novas e corretas aos leitores neste espaço. Se o jogo da imprensa não é o da adivinhação, nada impede que os textos de colunistas contenham um tanto de interpretação. Lógico, com base no que já temos como parâmetro e indicações, a sugerir a possibilidade analítica do presente e prospecção para adiante. Feita esta introdução, vamos aos fatos.

Leia outras análises e informações de Claudio Loetz

Queixar-se de 2015 foi a tônica de 101 entre cada 100 pessoas, independentemente de idade, natureza do trabalho ou de classe social. Não tinha como ser diferente. Paralisação de investimentos, inflação revivida em dois dígitos; desemprego massivo, aos milhares; perda de poder aquisitivo e indefinição sobre o futuro – até mesmo de curto prazo – embalaram as insônias de cada um, e as coletivas, idem. O ano de 2016 está chegando e falar de coisas negativas às vésperas de um happy new year parece provocação.

Loetz: Os efeitos do Natal sobre a economia

Desculpe se passo esta impressão no último fim de semana do ano. Minha missão não é diminuir a fruição das alegrias tão comuns nesta época. O objetivo é tratar de temas difíceis, ásperos, sem a paixão do delirante. E nem com a desrazão do bêbado. Um e outro, personagens tão óbvios no Natal e na virada anual do calendário.

Confira também as informações de Jefferson Saavedra

Desnecessário profetizar para afirmar que 2016 vai ser, de novo, um período duro, desafiador na linguagem das empresas. Problemático para todos, indistintamente. O terrorista, aquele que aposta no quanto pior melhor, prega o fim do mundo. E não dá nem pistas salvadoras. O analista avalia cenários. Opto pela segunda vertente.

O próximo ano começará na continuidade de 2015. Viveremos, ainda, altos níveis de desemprego. Potencialmente, chegando a 12%, 13% da força de trabalho no País. O drama social vai ter mais impacto no primeiro quadrimestre. Até lá, pelo menos, permanecerá o quadro de indefinição da política nacional e o País será rebaixado pela terceira consultoria global a medir grau de risco. O prognóstico aponta, também, que isso atingirá especialmente as indústrias com baixo poder de competição e descapitalizadas. E, claro, os negócios das áreas de prestação de serviços. Neste caso, como natural consequência dos efeitos já anteriormente ocorridos no meio industrial.

Luz no fim da escuridão? Sempre há. Precisaremos de paciência, determinação e disciplina. Para encontrarmos o caminho, vamos depender de alguns agentes. Dos empresários acreditarem na recuperação e conseguirem ver adiante o que o novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, fará com os rumos da economia. Nesse começo, a noção é de uma provável prática da volta ao passado, com pouca ênfase ao tal ajuste fiscal que a maioria prega, mas raros percebem. Depende muito do governo inspirar um mínimo de confiança – produto em falta há pelo menos seis meses. Depende dos investidores estrangeiros em colocar suas bilionárias fichas em negócios produtivos no Brasil.  Com o dólar a R$ 4 – pouco mais, pouco menos, e ao sabor das circunstâncias – e dezenas de empresas nacionais bem endividadas, companhias multinacionais e fundos de investimentos ganham a chance de ouro para fazerem aquisições na bacia das almas.

Se há dúvidas entre executivos de ponta de companhias com lobbies junto ao centro do Poder, imagina como estão os mortais a terem que sobreviver com R$ 2 mil por mês e unicamente refratários dos fatos a atropelarem seu cotidiano. Por isso, três recomendações essenciais:

1) Nada de gastar o dinheiro do 13º salário somente com os prazeres da vida. O lazer ajuda a reoxigenar mentes e a fortalece para se enfrentar os desafios seguintes, que virão, certamente. Mas, cuide para fazer a travessia com um pouquinho de reservas financeiras.

2) Crie vínculos fortes com o otimismo, apesar de que isso pareça distante demais. Será fundamental no próximo ano.

3) Corra para se agarrar ao emprego que já tem, ou corra, mais rápido ainda, para conquistar um. Você vai precisar.

Estes três fatores vão auxiliar você a viver no próximo ano. Conseguiu? Então vamos dar um passo adiante e desejar a todos um feliz 2017.

A NOTÍCIA

Notícias Relacionadas

Livre Mercado 17/12/2015 | 07h05

Claudio Loetz: rede de hotéis de Joinville inaugura filial no Oeste do Estado

Será o vigésimo quarto hotel sob o comando da Átrio, que atua no Sul e em São Paulo

Livre Mercado 06/12/2015 | 16h51

Claudio Loetz: Plano de compra põe funcionários da Busscar como sócios

Proposta é de fundo de investimentos com matriz em São Paulo e Sindicato dos Mecânicos de Joinville

Livre Mercado 24/11/2015 | 07h32

Claudio Loetz: projeto que reduz tempo para abertura de empresas será sancionado em Joinville

Texto deriva do Programa Atender, que foi debatido por associações de classe e empresariais

Livre Mercado 23/11/2015 | 07h32

Claudio Loetz: presidente da TAM enxerga possibilidade de melhorias no aeroporto de Joinville

Executiva esteve em Joinville na última semana e falou com empresários

Claudio Loetz 13/11/2015 | 07h31

Claudio Loetz: Ajorpeme comemora aprovação de projeto de lei que reduz tempo para concessão de alvará

É uma conquista rumo a desburocratização e celeridade na legalização de empresas no município

Claudio Loetz 12/11/2015 | 06h32

Paviloche planeja expandir negócios para o Oeste do Estado

Empresa joinvilense espera aumentar o faturamento em 20% em 2016 com a abertura de novos pontos de venda. Região Norte do Paraná também está na mira para receber investimentos

Livre Mercado 09/11/2015 | 10h21

Claudio Loetz: Pittol depende da Prefeitura para ter loja em Joinville

Empresa planeja abrir loja de calçados em prédio construído na rua 15 de Novembro, no Centro, em 1929

Livre Mercado 06/11/2015 | 20h56

Empresários apresentam reivindicações a deputados de Joinville na segunda-feira

Questões como o não aumento de tributos, saúde e infraestrutura locais serão discutidas na Acij

Livre Mercado 01/10/2015 | 20h30

Claudio Loetz: Marcha pelo Futuro já mobiliza mais de 20 mil pessoas nas redes sociais

Iniciativa do Conselho das Federações Empresariais de Santa Catarina é uma forma de contestar a tentativa de apropriação dos recursos repassados pelo setor privado ao Sistema S por parte do governo

Livre Mercado 22/09/2015 | 06h01

Claudio Loetz: Ministro Monteiro já fala em transição

Ministro aproveitou para elogiar os visitantes, ao reconhecer que devemos ter o modelo de desenvolvimento industrial alemão como referência

Evento econômico 21/09/2015 | 15h46

Alemães mostram confiança no Brasil e na recuperação política e econômica do país na abertura do Encontro Econômico

Vice-ministro de Economia e Energia e presidente da BDI fizeram discursos empolgados na abertura do EEBA 2015 e se mostraram dispostos a ajudar o Brasil em busca da recuperação

Economia 21/09/2015 | 06h01

Claudio Loetz: Ministro assina acordo com alemães em Joinville

O objetivo é promover ações e iniciativas na área de inovação, como a organização de eventos conjuntos, missões, rodadas de negócios, prêmios e programas de inovação

Encontro econômico 20/09/2015 | 21h05

Dia de agenda cheia para os alemães que participam do Encontro Brasil-Alemanha

Neste domingo, os visitantes participaram de fóruns, visitaram pontos turísticos e participaram de homenagens no dia que antecede a abertura oficial do principal evento entre os dois países

Encontro Brasil-Alemanha 20/09/2015 | 20h10

O que o Brasil pode aprender com o sistema de ensino alemão

Representantes de indústrias e de instituições alemãs e brasileiras participaram do fórum das micro, pequenas e médias empresas neste domingo

Interatividade 17/09/2015 | 08h50

Quiz: é Brasil ou Alemanha?

Confira de onde são as imagens e entre no clima do 33º Encontro Brasil-Alemanha

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMinistério Público investiga suspeitas de fraude no concurso da Guarda de Itajaí https://t.co/bTP0KmkYEthá 12 horas Retweet
O Sol Diário
Busca