Antes da votação do impeachment, dólar comercial opera em queda e é vendido a R$ 3,23 - Economia - O Sol Diário

Expectativa31/08/2016 | 10h34Atualizada em 31/08/2016 | 10h35

Antes da votação do impeachment, dólar comercial opera em queda e é vendido a R$ 3,23

Mercado aguarda o resultado da votação final sobre afastamento de Dilma Rousseff, além da decisão do Copom relacionada aos juros

Antes da votação do impeachment, dólar comercial opera em queda e é vendido a R$ 3,23 Marcello Casal JR/Agência Brasil/
Foto: Marcello Casal JR/Agência Brasil
Agência Brasil
Agência Brasil

No dia em que será decidido o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o dólar comercial opera em queda. Por volta das 9h, a moeda norte-americana era vendida a R$ 3,23, com queda de 0,27%.

O mercado também aguarda a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central sobre a taxa básica de juros, a Selic, que vai ser divulgada hoje, e acompanhou a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, que caiu 0,6% no segundo semestre deste ano.

Leia mais
Temer tem dia de expectativa por posse, reunião ministerial e viagem à China
Dilma fará declaração à imprensa depois da votação do impeachment
Sessão final do impeachment inicia às 11h; veja como será a votação

Também há expectativa em relação à decisão do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, que vai elevar os juros.

Impeachment

Caso o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff se concretize, o mercado vai acompanhar se as medidas de ajuste fiscal de Michel Temer vão avançar. Às 11h desta quarta-feira, os senadores retomam a sessão final para julgamento e votação do processo de impedimento. 

A reunião começará com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que conduz os trabalhos no Senado, apresentando uma síntese das alegações finais da acusação e da defesa. Em seguida, ele deverá responder a algumas questões de ordem que podem ser apresentadas pelos senadores ou pelos advogados sobre a votação.

Concluídas essas preliminares, Lewandowski designará dois senadores favoráveis e dois contrários para fazerem o encaminhamento da votação por cinco minutos cada. Em seguida, será feita a pergunta:

Cometeu a acusada, a senhora presidenta da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados, e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazo de oito anos?

O painel então será aberto para a votação dos senadores. Para que a presidenta seja condenada são necessários pelo menos 54 votos, que equivalem à maioria qualificada, ou dois terços dos 81 senadores.

Se a presidente afastada Dilma Rousseff for condenada, ela será imediatamente notificada, bem como o presidente interino Michel Temer. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deverá então convocar uma sessão do Congresso Nacional para o mesmo dia, a ser realizada na Câmara dos Deputados, para dar posse a Temer.


Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioPolícia localiza carro que atropelou triatleta na SC-401 https://t.co/cVWjHO7f9Ohá 2 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioEleições 2016: RBS TV promove debate entre candidatos a prefeito de Joaçaba https://t.co/B5TbQPid4phá 2 horas Retweet
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros