Candidatos à prefeitura de Itajaí falam sobre corrupção - Economia - O Sol Diário

Eleições 201628/09/2016 | 10h07

Candidatos à prefeitura de Itajaí falam sobre corrupção

Anna Carolina, João Paulo e Volnei Morastoni listam suas propostas

Candidatos à prefeitura de Itajaí falam sobre corrupção Arte DC / Arte DC/Arte DC
Foto: Arte DC / Arte DC / Arte DC
 

 

Esta é uma série de questionamentos aos candidatos a prefeito de Itajaí. Eles já falaram sobre o porto, implantação da guarda armada, construções no Canto Norte da Praia Brava e crise de arrecadação. Agora, o assunto é corrupção.

O que pretende fazer para combater a corrupção em seu governo?

Anna Carolina (PSDB)
Já estou fazendo. Não sentei pra negociar com partidos com qualquer envolvimento nesses escândalos. Não loteei secretarias para partidos que estão comigo. Não tenho nenhuma pasta definida de qual partido que será, porque quero cargos técnicos. Quero ter total controle do que entra e do que sei, e dar oportunidade às pessoas de fazerem as coisas mais rápido. Vou dar o exemplo da Secretaria de Urbanismo, que teve uma atuação forte do Gaeco. Hoje deveria ser um protocolo, que se pudesse acompanhar, saber de quem é a responsabilidade. Não tem por que dependerem do olho no olho e da chantagem de alguns profissionais. E vamos trabalhar firme em algo que já está na prefeitura mas ninguém escuta falar, que é a controladoria geral. Vou utilizar bastante desse órgão pra me ajudar no combate à corrupção.

João Paulo (PP)
Transparência. Já vi gente prometendo lei municipal, criação de órgão, e não acredito em nada disso. Sou honesto porque aprendi com meu pai, e presto contas daquilo que faço. O melhor controle é o social. Quando fui diretor de compras da prefeita implantei sistema de compras online. Se você escancara, acende a luz, as pessoas não ficam tão à vontade. Quando precisa de muita explicação, muitas senhas, começa a ficar favorável à corrupção. Quero transparência total, controle total, procedimentos online. Como é no banco, na Receita Federal, igual pra toda a gente, com critérios objetivos e não pela cara do cliente, e quero ter controle disso. Vou fazer isso não só nas aquisições mas também nos atendimentos. Teremos uma central de monitoramento comunitária.

Volnei Morastoni (PMDB)
O prefeito responde solidariamente, então, quando termina o governo, todos vão embora e o prefeito fica sozinho respondendo questionamentos do Ministério Público, do Tribunal de Contas. Se eleito serei intransigente com preceitos de moralidade, legalidade, impessoalidade. As coisas têm que ser feitas de forma ética e transparente, num conceito de compliance, tudo dentro de regramento. Se avançou muito além no conceito da integridade. Pressupõe ética, moral, transparência. Vamos criar uma coordenadoria da ética, moral, transparência, da integridade. Criar uma estrutura que seja imparcial, autônoma, independente, respeitada como tal. Vai além da controladoria. Segundo, encaminhar lei anticorrupção municipal. Terceiro, um código de ética do servidor municipal.

O SOL DIÁRIO

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros