Denúncia do MP-SC esquenta eleição em Florianópolis - Economia - O Sol Diário

10 vereadores denunciados12/09/2016 | 06h10Atualizada em 12/09/2016 | 07h53

Denúncia do MP-SC esquenta eleição em Florianópolis

A 20 dias do primeiro turno, candidatos a prefeito se movimentam para minimizar danos ou jogar para os oponentes o desgaste causado pela Operação Ave de Rapina

upiara boschi
upiara boschi

Quase dois anos após se deflagrada pela Polícia Federal, a Operação Ave de Rapina voltou a mexer com cenário político do Florianópolis. A revoada chega em plena campanha eleitoral e atinge 10 vereadores candidatos à reeleição, integrantes de coligações que sustentam três candidaturas a prefeito. A 20 dias do primeiro turno, as campanhas se movimentam para minimizar danos ou jogar o desgaste para os oponentes. 

A denúncia do Ministério Público de Santa Catarina foi protocolada na sexta-feira, em segredo de Justiça, e a lista com os nomes dos 10 vereadores citados foi divulgada com exclusividade no sábado no site do Diário Catarinense. Suprapartidária, a denúncia tem quatro parlamentes que apoiam Angela Amin (PP), outros quatro com Gean Loureiro (PMDB) e dois que integram o time de Murilo Flores (PSB). Há quatro anos, os parlamentares citados somaram 27.732 votos — 10,5% dos votos válidos para vereador.

Todos os 10 vereadores denunciados são candidatos à reeleição
Leia mais notícias sobre a Operação Ave de Rapina

Quando foi deflagrada, em novembro de 2014, a Ave de Rapina foi uma das principais causas da fragmentação da base do prefeito Cesar Souza Junior (PSD) na Câmara de Vereadores. Os três ramos da investigação atingiram em cheio nomes fortes da prefeitura no Legislativo — como Cesar Faria (PSD), que não concorre e é réu na investigação que apurou suposto esquema de corrução na contratação de radares de trânsito. O acúmulo de desgastes a partir de então levaram pesaram na decisão de Cesar Junior de não disputar a reeleição.

Os três candidatos que têm vereadores denunciados em seus coligações mostram cautela sobre o caso. Através de assessoria, Angela Amin disse que a questão está com a Justiça e que não irá fazer juízo de valor sobre os denunciados. Gean atribuiu o caso a problemas da atual gestão, da qual é opositor.

— Esse é um problema da atual gestão. Eles (os vereadores) agora vão ter a oportunidade de se defender. Não vamos fazer julgamento precipitado — afirmou.

Murilo Flores é outro que ressalta não querer fazer pré-julgamentos, mas afirma que o partido vai discutir o caso.

— Vamos fazer uma avaliação do quadro, do que está denunciado, as provas, o conteúdo. Dependendo, pode ter uma tomada de posição — afirma.

Sem aliados envolvidos na denúncia, Angela Albino (PCdoB) e Elson Pereira (PSOL) afirmam que vão falar sobre os temas em suas campanhas. O candidato do PSOL diz que irá reforçar as citações à Ave de Rapina no horário eleitoral.

— Acho que vai influenciar diretamente não apenas na campanha da Câmara, mas também na majoritária, no sentido de que três dos candidatos a prefeito tem nomes envolvidos que estão em suas coligações — afirma Elson.

Angela Albino avalia usar as redes sociais para discutir as denúncias contra os vereadores. 

— Temos 300 candidatos a vereador. A cidade precisa repensar seus votos e isso é uma oportunidade para isso. Acho que vai impactar na campanha, porque mostra que as velhas estruturas de poder não servem para Florianópolis — afirma.

Rafael Martini: "Direito de defesa no processo, pressão na vida real"
Moacir Pereira: "Os impactos da Operação Ave de Rapina"

Comentar esta matéria Comentários (0)

Esta matéria ainda não possui comentários

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioSC mantém liderança na produção de ostras, vieiras e mexilhões https://t.co/cG170FNLBKhá 3 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioDeslizamentos deixam 33 pessoas desaparecidas na China https://t.co/j3kcwfi7wLhá 4 horas Retweet
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros