Eleições 2016: polarização e promessas de parcerias para investimentos marcam debate entre candidatos a prefeito de Joaçaba - Economia - O Sol Diário

Política26/09/2016 | 01h32Atualizada em 26/09/2016 | 01h32

Eleições 2016: polarização e promessas de parcerias para investimentos marcam debate entre candidatos a prefeito de Joaçaba

Encontro promovido pela RBS TV reuniu os candidatos Armindo Haro Neto (PMDB), Dioclésio Ragnini (PSDB), Juliano Pedrini (PSB) e Marcos Weiss (PSD)

Eleições 2016: polarização e promessas de parcerias para investimentos marcam debate entre candidatos a prefeito de Joaçaba Gilmar Fochessato/Agência RBS
Debate ocorreu na noite de domingo Foto: Gilmar Fochessato / Agência RBS

A polarização nas perguntas e respostas e as promessas de parceiras para investimentos na cidade marcaram o debate entre candidatos a prefeito de Joaçaba, promovido pela RBS TV na noite deste domingo. O encontro foi mediado pelo jornalista da RBS TV Renato Igor e reuniu os candidatos Armindo Haro Neto (PMDB)Dioclésio Ragnini (PSDB)Juliano Pedrini (PSB) e Marcos Weiss (PSD).

Lideranças políticas marcam presença na reta final da campanha em SC

O embate se concentrou entre Ragnini e Weiss, que é o atual vice-prefeito da cidade. Sempre que as regras do debate permitiam, eles perguntavam entre si e não perdiam a oportunidade de alfinetar o adversário.

Cinco cidades de SC terão candidato único à prefeitura
Maioria dos candidatos em SC é homem, branco e de meia idade
Candidaturas mostram novo mapa partidário em SC

O primeiro bloco começou morno, com as perguntas feitas entre os candidatos com temas sorteados pelo mediador. As promessas de parceria foram o destaque. Dioclésio defendeu  a busca por apoio dos governos estadual e federal para garantir a sustentabilidade do Carnaval, enquanto Weiss apresentou proposta de parceria com a iniciativa privada para resolver o déficit habitacional. Armindo Neto também citou recursos do Estado e da União para garantir a UTI neonatal no município. Pedrini finalizou o bloco prometendo um novo edital de concorrência para o transporte coletivo de Joaçaba e a implantação de um Cartão Cidadão para baratear a passagem para famílias de baixa renda.

No segundo bloco, os candidatos responderam perguntas com temas livres e foi então que alguns embates mais diretos começaram a ocorrer. Depois de Pedrini responder Armindo Neto sobre a demolição do ginásio e do estádio municipal de Joaçaba, com o pessebista afirmando que pretende erguer quadras esportivas em todos os bairros e o peemedebista dizendo que já tem projeto para um novo e grande centro esportivo, houve o primeiro confronto entre Ragnini e Weiss.

O tucano perguntou a Weiss se ele realmente achava que um empresário não sabia administrar uma prefeitura, citando uma entrevista em que o pessedista teria dito isso. O atual vice-prefeito respondeu que jamais tinha dito tal frase.

— O que falei é que administração pública é diferente de administração privada. O que falo é de prioridades. Se o empresário vai fazer da prefeitura sua meta de trabalho, pode ser candidato. Mas não pode servir a dois senhores ao mesmo tempo — declarou.

Ragnini, que é empresário, rebateu:

— Vejo que o candidato muda de opinião muito fácil. Não foi isso que o senhor disse há alguns dias a veículos de imprensa. O empresário é um gestor muito melhor do que talvez um funcionário público de carreira de 20 anos, que deixa muito a desejar.

Na pergunta seguinte, Weiss e Ragnini também trocaram indiretas em uma questão sobre saúde. A transparência da prefeitura também foi alvo de críticas, desta vez do candidato Pedrini, que comentou sobre um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com o Ministério Público para melhorar o acesso à informação no município. O atual vice-prefeito, por sua vez, defendeu a gestão e apresentou números e levantamentos nacionais que qualificam a aplicação do dinheiro público na cidade.

O terceiro bloco teve novamente perguntas feitas pelos candidatos com temas determinados sorteados ao vivo pelo mediador. Conservação de estradas e pontes, infraestrutura dos bairros, criação do Instituto de Planejamento Urbano, escolas de tempo integral e distrito industrial entraram na pauta. 

No quarto e último bloco os candidatos também responderam perguntas com temas livres e cada participante teve 45 segundos para considerações finais. Inchaço da máquina pública, gasto excessivo com folha de pagamento, aumento do IPTU, meio ambiente, saneamento e trabalho comunitário das associações de bairro foram debatidos nas perguntas e respostas.

Debates em mais seis cidades

Na próxima quinta-feira, a RBS TV promove debate simultaneamente em outras seis cidades: Florianópolis, Joinville, Blumenau, Chapecó, Criciúma e Lages. Os encontros começam após a novela Velho Chico.

 
  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros